O que há de novo?

0
5
Muito se discutiu sobre tecnologia e inovação no 8º Congresso Nacional de Recuperação de Crédito da Aserc, realizado no Novotel Jaraguá, em São Paulo. Buscando reforçar o debate sobre o assunto, o segundo dia do congresso começou com a palestra de Milton Luiz de Melo Santos, presidente da DesenvolveSP, que apresentou dados de investimento em inovação. De acordo com Santos, o Brasil ainda é considerado atrasado em inovação, no entanto, a taxa dos investimentos atualmente gira em torno de 30%. “Houve aumento na inovação com incentivo do governo, mas a inovação ainda parte muito do empresariado”, comentou.
Ainda falando sobre inovação, o Congresso também contou com dois cases vencedores do 6º Prêmio da Indústria de Recuperação e Concessão de Crédito da Revista ClienteSA. O economista da Boa Vista Serviços, Flávio Calife, começou comentando sobre o período econômico atual. Para ele, o cenário de concessão de crédito mudou nos últimos anos com o surgimento dos chamados novos consumidores. Tanto que o case “Acertando suas contas virtual” vai nessa direção. O canal traz facilidade para a vida do consumidor inadimplente, que muitas vezes não quer ligar ou se deslocar para acertar sua dívida, já que pode fazer isso on-line. “Para o cliente, é uma chance de consultar seu CPF e renegociar as dívidas on-line, já para empresa é possível analisar melhor o comportamento do cliente”, explicou.
Também vencedor do prêmio, o case da Algar Tech “Operação Cobrança, setor bancário” foi apresentado pelo gerente de produto Leandro Nazareth Souto. De acordo com o executivo, com o programa é possível trabalhar a gestão da carteira de clientes, além de prevenir fraudes e recuperar o crédito. “As empresas precisam entender que inovação é dinheiro novo. Criamos novas tecnologias para aprimorar a cobrança”, afirmou.