Compra on-line deixa de ser pontual para virar hábito

Estudo revela que a cada 10 consumidores online no Brasil, 2 são novos usuários e 6 aumentaram as compras no último ano

0
19

O ano de 2020 será aquele em que os consumidores de fato mergulharam no universo digital. Tomando por base o Mercado Livre, foram 22,6 milhões de novos compradores na América Latina, volume 47% maior do ocorrido em 2019. A intensidade de buscas por minuto também cresceu substancialmente. Foram registradas, em 60 segundos, 5.585 procuras por acessórios para veículos; 4.741 por calçados, roupas e bolsas; e 4.240 na categoria de casa, móveis e decoração. O ciclo de compras também foi reduzido em 13 dias. 649 milhões de itens foram entregues em toda a região.

“Em 2020, o e-commerce tornou-se a primeira opção de busca para milhões de consumidores. Ainda de acordo com o estudo, o comércio eletrônico foi a plataforma mais procurada para pesquisar por diferentes produtos. Em 2018, por exemplo, 53% buscavam diretamente em e-commerces. Já em 2020, esse número cresceu para 70%”, conta Fernando Yunes, líder do Mercado Livre no Brasil. Além disso, no Brasil, a cada 10 consumidores digitais: 2 compraram pela primeira vez na internet, 1 manteve seus pedidos online e 6 aumentaram suas aquisições. Grande parte dos acessos – 8 em cada 10 – são realizados por dispositivos móveis. As informações fazem parte do estudo Tendências do e-commerce: Aprendizados em um ano mais digital, lançado pelo Mercado Ads, unidade de negócio do Mercado Livre.

Um dos grandes destaques de 2020, foi a seção de calçados, roupas e bolsas: 17% dos novos compradores ingressaram na plataforma por esta categoria, seguida por acessórios para veículos (12%) e produtos de casa, móveis e decoração (11%). “Identificamos que, após a realização da primeira compra, 60% dos novos consumidores brasileiros voltaram à plataforma e fizeram novas aquisições. Ou seja, para muitos, fazer pedidos online tornou-se um hábito e não mais apenas uma situação pontual”, explica Yunes. O estudo também notou que os consumidores digitais estão mais dispostos a conhecer diferentes seções. “Os consumidores incluíram em torno de outras três categorias em seus carrinhos, diversificando cada vez mais os seus pedidos.”

Além disso, foi observado que, todos os perfis de consumidores aumentaram a assiduidade de seus pedidos. Os leais, que compram mais do que a média, realizavam suas aquisições a cada 17 dias, em 2019. Em 2020, o intervalo foi de apenas 13 dias. Enquanto os frequentes – que pedem produtos regularmente – estão adquirindo novos itens a cada 39 dias, contra um período de 77 dias, em 2019. Já os esporádicos – encomendam em casos pontuais – estão comprando a cada 63 dias, bem diferente de 2019, quando realizavam pedidos em um período de 274 dias.

Novas escolhas
Em 2020, o Mercado Livre identificou diversas mudanças de hábitos entre os seus consumidores. “Tudo o que vivenciamos no ano passado, gerou modificações em nosso comportamento e, consequentemente, em nosso consumo. Com isso, foi possível enxergar que algumas tendências foram observadas no e-commerce, motivando o aumento de pedidos e procura por diferentes categorias”, comenta o líder do Mercado Livre no Brasil.

Trabalho e estudos em casa
O item que foi líder no ranking de buscas, em julho e agosto de 2020, foi o notebook, movimento impulsionado pelo novo estilo de trabalho e estudo em casa. A categoria notebook e acessórios registrou crescimento de 224% em número de pedidos, em comparação a 2019. Já a seção de materiais escolares, despontou e se destacou com grande crescimento. O volume de pedidos aumentou 308%, em relação a 2019.

Entretenimento
Itens de diversão e lazer também ganharam força em 2020, aumentando o volume de pedidos, em relação a 2019: Bonecos e bonecas – crescimento de 176%; Carrinhos – crescimento de 139%; Jogos de tabuleiros, quebra-cabeças e cartas – crescimento de 75%. Além disso, o que segue em expansão é a atração dos consumidores por produtos gamers. Em 2020, o termo mais buscado na plataforma do Mercado Livre foi ‘PC Gamer’ .

Lar
Casa e decoração foi a categoria número um em visitas e continuou conquistando a atenção dos consumidores em 2020. “Com o isolamento social e a necessidade de permanecer em seus lares, muitos usuários demonstraram interesse em itens de casa, móveis e decoração”, conta Yunes. “Também se destacou a categoria de ferramentas, que cresceu 101% no volume de pedidos”, reitera o executivo. Analisando os pedidos de Casa, móveis e decoração foi possível observar que, em 2020, as categorias que tiveram o maior aumento na quantidade de compras foram:Itens de decoração e mesa – aumento de 223%; Utilidades domésticas – aumento de 139%; Jardim e exteriores – aumento de 127%; Iluminação – aumento de 84%.

Compras de supermercado
A procura por itens de supermercado online cresceu e se sobressaiu. Novembro de 2020 foi o mês que registrou o maior volume de visitas ao Super Mercado Livre. “Nossa categoria de Supermercado está com o sortimento bastante completo e temos crescido com taxas muito altas”, completa Yunes.

Busca por conforto
A moda em 2020 passou por algumas alterações, afinal trabalhar e estudar em casa pede roupas mais confortáveis e despojadas. Como isso, as blusas e casacos – como moletons – viraram os queridinhos dos usuários do Mercado Livre. Conhecida também como Moda Comfy, ela foi a escolha de muitos neste período de isolamento social. Tornando o item a terceira maior fonte de novos compradores e a sétima maior categoria da seção de Moda .

Bem-estar
Outro favorito dos usuários foram os produtos de autocuidado. O relatório apontou um importante crescimento de pedidos nas categorias de beleza e cuidados pessoais, comparando compras de 2019 as de 2020: Itens de cuidados com a pele – crescimento de 115%; Itens de cuidados com o cabelo – crescimento de 86%; Maquiagem – crescimento de 78% – a categoria se destaca entre os novos consumidores. Seguindo a tendência de bem estar, esportes e fitness também ganharam espaço. O termo bicicleta está entre os 10 mais buscados em todo o site e a categoria de esportes indoor/outdoor duplicou de volume em pedidos.

“Para 2021, as perspectivas são as melhores. Esperamos que a cada 10 compradores digitais, 8 mantenham ou aumentem seu consumo online. E estamos cada vez mais preparados para o crescimento da demanda. Somente este ano, a companhia investirá R$ 10 bilhões no Brasil dando sequência ao plano de expansão da sua malha logística, da conta Mercado Pago e da força competitiva de seu marketplace no país”, finaliza Yunes.