Email Marketing: o que “forrest gump” anda fazendo?



Segundo um artigo que saiu algumas semanas atrás no MediaPost, uma grande parte dos profissionais de marketing estão usando a – ainda – efetivíssima ferramenta chamada email marketing como se o planejador das ações fosse o personagem Forrest Gump. Ou seja, fazem da forma mais estúpida possível – mesmo quando dá certo.


Erros acontecem, claro, mas os exemplos citados ocorrem simplesmente porque muita gente esquece o bom senso, as melhores práticas, até a legislação. E o fato de serem pressionados por chefes ou metas agressivas não é uma boa justificativa.


Eis uma boa coleção de erros, infelizmente, comuns:


Por Ignorância


·        Usar um endereço de email em vez de criar um nome “amigável” para o campo remetente


·        Usar um ponto de exclamação no assunto


·        Não criar um email de welcome


·        Esconder a opção de opt-in


·        Usar uma única imagem grande nos emails.


Por preguiça


·        Usar sem otimização um texto padrão gerado pelo sistema


·        Não perguntar por preferências básicas, tipo HTML vs. Texto


·        Não incluir um “preference center”


·        Muitos campos nos formulários de opt-in


·        Não realizar uma boa limpeza nas listas


“Herrrar é umano”


·        Links ruins


·        Mistura de tipos


·        Esquecer de colocar o texto real no assunto ou no corpo do email e enviar o texto fake que usou no layout


·        Usar imagens erradas


·        Enviar a mensagem teste para toda a lista


·        Enviar os destinatários para a página errada


Mas usar de má fé é imperdoável


·        Pegar endereços de email na Web e adiciona-los ao seu database


·        Dificultar o processo de remoção de assinatura


·        Compartilhar registros de emails com os departamentos de sua empresa ou fornecedores sem permissão


·        Desconsiderar preferências


·        Comprar listas (em vez de alugar listas qualificadas) – (Dica: se vêm em CD-ROM, corra, Forrest, corra.)


·        Ficar trocando de servidores, tentando evitar a fama de spammer.