ABT defende auto-regulamentação

0
9



A Secretaria de Direito Econômico do Ministério da Justiça (SDE) realizará, no dia 13 de fevereiro, uma audiência pública com representantes do setor de callcenter. O objetivo é elaborar normas que garantam tratamento adequado aos consumidores. Para a Associação Brasileira de Telesserviços (ABT), o setor não precisa de uma nova fiscalização. “Não há necessidade de se criar uma legislação para um setor que já possui o seu programa de auto-regulamentação”, explica Jarbas Nogueira, presidente da ABT.


De acordo com Nogueira, a iniciativa do Governo será uma boa oportunidade de mostrar a importância do Programa de Auto-Regulamentação do Setor de Relacionamento (Probare), criado em 2005. A entidade apresentará os resultados do Programa, que já conta com 30 empresas certificadas. “As empresas sabem que precisam se adequar rapidamente as normas do Probare, o que contribui para aceleração da regulamentação do setor”, completa.


O Probare possui código de ética, Ouvidoria, selo de ética e norma de maturidade. Segundo Nogueira, o próprio setor defende a permanente busca da qualidade e excelência na prestação de serviços. “O nosso setor se fortaleceu e hoje é um dos maiores empregadores do país. Precisamos de mais apoio do Governo”, afirma. Para Nogueira, o setor não pode sofrer ameaças a todo o momento em relação ao trabalho que realiza. “A atividade é importantes para a sociedade e para os empresários que investem cada vez mais”, conclui.