Crivo terá nova versão ainda este ano

0
9



A Crivo, desenvolvedora de software para análise e decisão de crédito e risco, anuncia o lançamento do Crivo 4.0 no segundo semestre deste ano. As mudanças foram definidas, principalmente, com base em um levantamento realizado com os clientes. “Estamos incorporando funcionalidades que já preparam as empresas para as mudanças previstas na área de crédito e risco nos próximos dois anos”, afirma Daniel Turini, sócio-diretor da Crivo.


O Crivo 4.0 conta com uma interface simplificada para o usuário e administrador, que executa, em tempo real, a atualização dos drivers (mecanismos de acesso as fontes de informação) e monitora as operações realizadas por meio de um console. “O cliente pode monitorar desde aspectos técnicos, como performance, tempo de resposta das fontes e da decisão do Crivo até aspectos de negócio, como níveis de aprovação de crédito, rejeição de clientes etc”, destaca Rodrigo Del Claro, diretor de relacionamento das Crivo.


O Crivo 4.0 está sendo projetado para atender ainda mais as necessidades dos bancos, seguradoras e empresas de telecomunicações, principais segmentos atendidos pela empresa. Entretanto, o software também ganhou funções definidas para atender demanda crescente da área de varejo e cartões. “Pela flexibilidade na definição de políticas de crédito e risco, o Crivo pode se adaptar a qualquer vertical. Apesar de algumas funcionalidades terem aplicação mais direta, como em emissão de cartões de crédito, nada impede que esta mesma funcionalidade seja utilizada em uma seguradora para analisar o risco de seguro de um veículo”, explica Turini.


A nova versão ainda permite o envio de e-mails sobre decisões de crédito direto do sistema e a documentação de fontes. Este último recurso possibilitará que o usuário tenha acesso ao descritivo de cada fonte. “Este recurso propicia, de forma simples, a descoberta de fontes de informação que possam reduzir custos e riscos no processo de tomada de decisão”, afirma Turini.


Por fim, o software permitirá a tomada de decisões de crédito mesmo em casos de ficha cadastral incompleta. A partir do cruzamento de informações parciais de diversas fontes, uma ficha cadastral incompleta poderá ser totalmente preenchida. Assim, o cliente poderá tomar a decisão de crédito com menos riscos de fraudes.