É ilusão o time dos sonhos?

0
5
Uma das principais buscas nos contact centers é por eficiência: atender com qualidade e, de preferência, com resolução no primeiro contato. Por isso, conseguir montar uma equipe de alta performance é o sonho de toda operação. A vantagem, segundo Rogério Domingos, gerente geral de recursos humanos da Alert Brasil, é a garantia dos resultados. “Quando se compõe um time de alta performance basta olhar o gráfico e as evoluções nos resultados, a segurança é absurda, crescer não assusta e as turbulências são vistas como oportunidades”, pondera. Isso porque, essa equipe demonstra elevada competência e destacado grau de comprometimento. Porém, qual o segredo para acertar na construção desse “dream team”? Para descobrir a receita, o portal Callcenter.inf.br conversou com especialistas e profissionais do mercado de contact center. Eles deixaram claro que o processo não é fácil, exige muitos cuidados, porém é recompensador no final.
O recrutamento e seleção é o primeiro pilar que fortalecem a construção de um time de alta performance. Segundo José Carvalho Jr., executivo de contas da Parla, é nesse processo que já se identifica as principais habilidades que devem ser inerentes a cada cenário de atuação. “Porém, sem o desenvolvimento e aperfeiçoamento constantes por meio de treinamentos, reciclagens e “coaching”, a equipe deixa de ser competitiva às mudanças constantes do mercado”, alerta. Ele reforça que a necessidade de entender os colaboradores como uma unidade que necessita de desenvolvimento pessoal e profissional – paralelos.
O caminho para chegar a isso passa, principalmente, pela liderança, com os gestores focados na melhoria contínua da equipe estimulando, motivando e proporcionando um ambiente onde os operadores busquem o seu autodesenvolvimento, de acordo com Gislaine Arenhart, gerente de operações da ABS Brasil. “Além de selecionar as pessoas, também é necessário conhecê-las e reconhecê-las, reforçando os comportamentos certos que ela deve possuir para fazer parte deste time, deixando claro o quanto a empresa e seu gestor se importam com ele e com esse projeto no qual faz parte”, completa. Tanto que a gerente da ABS Brasil coloca a grande sacada na formação da equipe o relacionamento e a cumplicidade, promovendo a sinergia e o alinhamento de objetivos para que se alcancem resultados diferentes dos que os demais. “Esse é o grande desafio. Conseguir transformar um grupo de trabalho em um time altamente sincronizado, levando em consideração o que cada membro pode contribuir do seu melhor para o todo”, esclarece a executiva, acrescentando que o time precisa ser motivado e incentivado a superar os desafios, compartilhar as metas e os resultados para que todos estejam engajados em contribuir cada vez mais dentro de suas possibilidades.
O representante da Dale Carnegie Training no Brasil, Minervino Neto, reforça que o líder é fundamental em todo processo, pois ele que vai desenvolver as pessoas buscando o nível ideal de maturidade da equipe, aumentando, assim, as chances de alcançar a performance desejada. “Ele é o responsável direto pela alta performance da equipe. A consistência e constância do seu acompanhamento estabelecem o padrão de excelência”, comenta. Inclusive é o líder que, mantendo uma liderança efetiva e que consiga inspirar os membros da equipe, irá conseguir o engajamento de todos em busca dos resultados, segundo o especialista. “Tudo começa com um bom líder.”
Outro detalhe importante é achar que na hora de formar uma equipe é preciso escolher os profissionais com perfis semelhantes. Pelo contrário, para que tenha bons resultados, o mais recomendável é ter um time plural, segundo Fátima Rossetto, diretora de desenvolvimento de talento da LHH|DBM.  “Uma equipe de alta performance é formada acima de qualquer outro fator pela diversidade e complementariedade”, comenta. Diante disso, ela pontua a importância de levar cada um a perceber o valor agregado, fortalecendo a empatia e colaboração no grupo.  “Para integrá-los vale esclarecer papéis e expectativas e levar cada um a propor ofertas de parceria ao outro, formalizando possibilidades e impossibilidades, ou seja, estabelecendo uma relação o mais livre possível de ruídos desde seu início”, acrescenta.
Com todos os cuidados tomados, os ganhos aparecem no dia a dia. Aumentam as chances de resultados melhores, o clima organizacional fica mais favorável e se formam profissionais mais bem preparados para mudanças e desafios futuros, de acordo com Neto. Não a toa, toda empresa busca ter equipes de alta performance. “Ela libera espaço para a busca de aperfeiçoamento do processo de atendimento, que por sua vez é revertido em competitividade em busca da excelência. O cenário inverso exige muita energia da gestão, para corrigir constantemente as mesmas falhas, sem contar o impacto de rotatividade das operações – principalmente ocasionada pela falta de envolvimento nos objetivos”, finaliza Carvalho Jr.
E na sua opinião, O que faz a diferença na construção de uma equipe de alta performance? Deixe a sua opinião na enquete do portal Callcenter.inf.br.
Confira também as matérias exclusivas do especial:
Como no esporte, tão importante quanto escalar, é tirar o melhor de cada colaborador
A partir da cumplicidade, empowerment permite equipes alcançarem a alta performance
Principal passo para ter uma equipe competitiva é investir no desenvolvimento profissional
Equipe de alta performance começa por uma boa liderança, defende especialista
Diversidade e complementariedade são fundamentais para formar equipe de alta performance
Líder é essencial em todo processo de desenvolvimento dos times de alta performance

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTarget na mira!
Próximo artigoFortalecendo o relacionamento