Em disputa interna

0
4



A maioria dos profissionais acredita que a competitividade no ambiente de trabalho é saudável e ajuda a obter mais sucesso, segundo uma pesquisa da Page Personnel. Para 90,3% dos entrevistados, ser competitivo faz bem ao profissional e às empresas. De acordo com o levantamento, realizado em março deste ano com 200 analistas, coordenadores e jovens gestores de diversas áreas, de Rio, São Paulo e Campinas, uma das consequências positivas de um ambiente competitivo é o aumento da produtividade de trabalho.

 

Em algumas empresas há muita competição e, dependendo do perfil do profissional, isso pode ser extremamente produtivo para os dois lados, na avaliação do consultor em gestão de pessoas, Eduardo Ferraz. “Nessas empresas é comum ter metas, desafios e premiações por produtividade. Se o profissional possui o perfil mais competitivo e ambicioso, ele tenderá ser bem sucedido em organizações que ofereçam muito trabalho, prazos curtos, metas difíceis e que paguem bem por isso. Quem é assim, produzirá mais, pois a tensão criativa faz parte de seu dia a dia e ele sente prazer em enfrentar esses desafios”, detalha o consultor. Contudo, é preciso ter cuidado. “Ser ambicioso, determinado e ágil, não dá a ninguém o direito de ser tornar grosseiro ou desrespeitoso pois isso é falta de educação e não excesso de vontade”, pondera.

 

Se o profissional procura segurança, aprendizado ou status e não gosta de competir, ele vai enfrentar dificuldades em ambientes muito competitivos. “Daí vem a importância do autoconhecimento para a pessoa certa se posicionar no lugar certo”, conclui.