Especial. Empresas buscam treinamento comportamental

0
10

Em uma retrospectiva sobre o mercado de telemarketing, Roseli Freitas, account manager da AM3 Telemarketing, buscou o ano de 2000 e o avaliou como propulsor das privatizações. A procura destas empresas pelos serviços de call center voltados ao atendimento a clientes, fez crescer o setor. Em resposta, o aumento do número de contratações de profissionais para a área, assim como o lançamento de operadoras e o investimento em infra-estrutura foram inevitáveis.

“Observamos o crescimento na média de 30% ao ano”. Com o mercado de consumo mais exigente, as empresas voltaram seus investimentos em treinamento técnico de vendas, suporte técnico, entre outros serviços ligados ao contato com o consumidor. “Para este ano estamos percebendo a tendência, iniciada em 2001, tomar forma. A grande demanda para o treinamento está voltada ao aspecto comportamental, com foco no relacionamento com o cliente” explica.

Para a executiva, o que as empresas buscam, por meio do treinamento, é o desenvolvimento do profissional multiplicador de conhecimentos que, além da comunicação, possam desenvolver o autogerenciamento das funções. O objetivo é criar operadores adequados para gerar negócios e para os processo de retenção e fidelização do cliente.

“Esta tendência se mostra como necessidade das empresas. Além de contratar talentos elas precisam criar mecanismos internos para reter estes talentos humanos”, fanaliza Roseli.