Siemens com Avaya ou Nortel?

0
2


Após os “mega acordos” ocorridos entre a Alcatel e Lucent e a área de infra-estrutura de comunicações da Siemens e Nokia, a Frost & Sullivan, empresa de consultoria e inteligência de mercado, acredita que o mercado ainda deve passar por outras fusões. Um cenário bastante favorável nos próximos meses seria a venda da unidade de soluções corporativas da Siemens Communications, ou uma fusão com um dos líderes globais. Duas fortes candidatas para a potencial fusão seriam a Avaya e a Nortel Networks, uma vez que ambas possuem forças próprias e poderiam alavancar as operações e presença geográfica no mercado global.

“O acesso a uma grande base mundial instalada pode ser um bom motivo para a fusão dos fornecedores com a Siemens Communications”, destaca Kristin Crispin, líder de pesquisa da Frost & Sullivan e uma das responsáveis por esta análise de mercado. Além disso, as inovações tecnológicas como as aplicações baseadas em SIP (Session Initial Protocol) e a integração das telecomunicações com a TI estão impulsionando mudanças nos modelos de soluções de comunicações empresariais – este fator, aliado às restrições orçamentárias das empresas em grandes investimentos em TI, estão pressionando os fornecedores a buscarem alternativas para obterem ganhos de escala e serem mais flexíveis para os clientes, encorajando os participantes do mercado a colaborar com as fusões. Entretanto, existem motivos específicos para a união da Siemens com Avaya ou Nortel.

“Primeiro, a Siemens possui uma grande base instalada e provavelmente irá gerar mais de US$ 5 bilhões em receita acumulada até 2011. De maneira geral, a base instalada de PBXs tradicionais da Siemens representa um mercado-alvo excelente para a empresa que melhor aproveitar a substituição por IP durante os próximos anos”, explica a analista. Paralelamente, os outros objetivos da fusão podem ser o de fortalecer a posição da entidade aquisidora no mercado europeu e, a longo prazo, o de alavancar a liderança da empresa matriz em diversos mercados como os de sistemas médicos, tecnologias de construção e outros.

Análise da fusão – A Frost & Sullivan atenta ainda para o fato de que embora a fusão da Avaya ou da Nortel com a Siemens possa parecer forte em termos de mercado, ela também pode se tornar um problema. Uma das principais restrições à fusão, tanto para a Avaya como para a Nortel, são as redundâncias nas carteiras de produtos.

Ao analisar uma possível fusão entre a Siemens e a Avaya, a consultoria espera que essa união represente 28% do mercado global, totalizando quase o dobro do concorrente mais próximo, a Nortel. “Essa fusão proporciona à Avaya uma base instalada de legado que precisará de atualização para a tecnologia de próxima geração, que poderá aproveitar a penetração da Siemens Communications como o fornecedor dominante no mercado europeu”, observa Kristin. “Se a fusão for bem executada, espera-se que a Avaya-Siemens gere uma parcela de mercado de 25,8% na Europa, emergindo como líder absoluto à frente da segunda maior empresa, a Alcatel, que totalizará cerca de 10,4 % do mercado”, completa.

Já ao analisar uma possível fusão entre a Nortel e a Siemens, a Frost & Sullivan acredita que ela deve representar 26,4% de participação de mercado, ficando à frente da Avaya em 9 pontos percentuais. A grande parcela de mercado da Siemens na Alemanha, Portugal, Espanha e Itália pode provar ser vantajosa para a Nortel, pois ela não tem uma posição forte nestes países. “Essa união fortaleceria ainda a presença de ambos os fornecedores em todos os países da América Latina, na medida em que eles se complementam em suas áreas fortes e fracas”, ressalta Kristin.

Conclusão – “Será uma tarefa extremamente desafiadora para qualquer empresa a execução e produção com uma fusão em potencial. O ritmo médio de inovação na indústria é bem alto e uma grande entidade combinada corre o risco de se atrapalhar com questões de integração, em vez de fortalecer sua posição no mercado. Todavia, conforme ilustrado acima, as fusões podem ser uma estratégia eficiente para se obter liderança global do mercado”, enfatiza Kristin.

Ao avaliar os dois cenários, a Frost & Sullivan acredita que é mais provável que a fusão Avaya-Siemens resulte em sinergias mais fortes, uma vez que juntas elas podem ter 28,6% de um mercado de US$ 7,59 bilhões. De maneira geral, espera-se que o impacto no mercado da fusão de uma empresa com a Siemens seja significante. Ela pode, potencialmente, iniciar uma era de mega fusões na indústria de comunicações empresariais. “Como o acesso à base instalada é atualmente a chave para o crescimento em um mercado maduro, os grandes participantes que sobreviverem provavelmente irão querer dar as mãos para produzir uma estratégia para competir eficazmente no mercado”, conclui a analista.