Sob o desafio de fazer permanecer

0
3


Crescendo aceleradamente, o setor de contact center é, muitas vezes, a porta de entrada para os jovens no mercado de trabalho. Com pouca experiência, esse público encontra nas pequenas e grandes empresas uma oportunidade, que, na maioria dos casos, passa despercebida aos olhos dessa geração. Preparar os profissionais para esse mercado, que não para de contratar, é o objetivo da GCC Contact Center, fundada em janeiro deste ano. “Mais do que contratar, o desafio é formar os futuros profissionais dessa indústria”, afirma Carlos Mathias, diretor da companhia ao lado de Tânia  Mara Leal. “Os clientes passaram a exigir mais qualidade para o relacionamento. Surgiram leis para regulamentar o setor. As tecnologias evoluíram. Com o passar dos anos, esse desafio só iria aumentar”, complementa o executivo.
 
Além do avanço, como essa indústria tem altos índices de turn over, a demanda por profissionais se torna contínua. Nesse cenário, a GCC surge com o papel de capacitar para a atuação profissional a longo prazo e com perspectiva de crescimento. “Quando o candidato entende melhor a carreira, ele já inicia blindado. E se for desistir, desiste antes mesmo de começar”, garante Mathias.
 
A empresa, que mantém duas unidades, uma em Curitiba e outra em São Paulo, expande as atividades através de parcerias com associações, igrejas, escolas, Organizações Não Governamentais e instituições de função social. “Levamos os instrutores gratuitamente para a instituição, que abre o espaço para as turmas. Assim, complementamos o papel das parceiras, que já atendem nosso público alvo e não geramos despesas”, explica o empreendedor.
 
A meta, a partir de agora, é consolidar a presença nas duas capitais e atrair parceiros, candidatos e clientes em um ciclo, no qual todos possam ser favorecidos. “Esperamos que esse modelo de empreendedorismo social tenha uma boa aceitação e que o projeto ajude o mercado e cada vez mais valorizar a profissão através da qualificação”, finaliza Mathias.