O canal para quem respira cliente.

Consumo das classes C e D cresce 2% em maio

Luciana Godoy

Expansão foi impulsionada pelo setor de lojas de roupas, principalmente pelas compras para o Dia das Mães

O consumo das classes C e D no Brasil se elevou em 2% em maio, na comparação com o mês anterior, de acordo com a Pesquisa de Hábitos de Consumo, da Superdigital, realizada mensalmente visando traçar o perfil do consumidor das classes de menor poder aquisitivo. De acordo com os dados da fintech, que é focada em inclusão econômica, o crescimento foi impulsionado pelo comércio nas lojas de roupas, com um crescimento de 14% em decorrência das compras em comemoração ao Dia das Mães.

Na pesquisa, com exceção do Nordeste – onde o consumo recuou 2,4% -, todas as demais regiões brasileiras mostraram alta. O Sudeste teve uma recuperação de 3,3%, seguido do Sul (1,5%), Norte (1,4%) e Centro-Oeste (0,1%). Já os setores que mostraram altas mais significativas no consumo foram: Lojas de Roupas (14%), Transporte (7%), Automóveis e Veículos (6%), Lojas de Artigos Diversos (6%), Prestadores de Serviços (6%), Combustíveis (5%) e Drogarias e Farmácias (5%). Já os setores que mostraram recuo foram: Rede Online (-3%), Companhias Aéreas (-2%), Diversão e Entretenimento (-2%) e Hotéis e Motéis (-1%).

Na avaliação de Luciana Godoy, CEO da Superdigital Brasil, a alta no consumo destas classes sociais, mesmo que pequena, mostra que a economia no varejo está se recuperando aos poucos. “O dado também foi impactado pelas compras no Dia das Mães, que geralmente traz um aquecimento ao comércio varejista. Mas percebemos que mesmo os setores que não têm correlação com a data mostraram alguma recuperação, como exemplo os setores de transportes, automóveis e veículos e prestadores de serviços”. 

O levantamento mostrou também que o principal gasto no orçamento continua sendo o com supermercados (36,9%). Em segundo lugar estão os restaurantes (13%), lojas de artigos diversos (10,3%) e combustível (7,7%). Outro dado da pesquisa da Superdigital mostra que 87% dos gastos totais foram feitos presencialmente, mantendo o mesmo percentual de abril. 

Em relação ao ticket médio, houve aumento nos setores Lojas de Roupas (11%), Lojas de Artigos Diversos (6%), Prestadores de Serviços (6%), Serviços (4%), Automóveis e Veículos (4%) e Combustíveis (3%). Contudo, caiu o ticket médio de Companhias Aéreas (-30%), Rede Online (-4%), Supermercado (-3%) e Restaurantes (-2%).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima