Engajamento vem pelo conhecimento

Diretor de marketing da Royal Canin conta os caminhos para se aproximar dos clientes em um mercado em transformação

0
3
Carlos Martella
Carlos Martella

O mercado pet no país, já expressivo com seus mais de 80 milhões de animais domésticos nos lares brasileiros, passa por transformações de amplo significado. Entre elas está o nível acelerado da adoção de gatos, mais afeitos ao ambiente de isolamento deste período, o uso intensivo da internet tanto pelas empresas quanto pelos consumidores e a necessidade de maior educação dos tutores de pets sobre o grau de inovações sobre nutrição animal. Nesse cenário, o ambiente on-line deverá fazer diferença na ampliação de conhecimento e diminuição de preconceitos que trazem engajamento, na avaliação feita, hoje (30), por Carlos Martella, diretor de marketing da Royal Canin, que compartilhou também as novidades da empresa durante a 171ª live da série de entrevistas dos portais ClienteSA e Callcenter.inf.br.

Ao iniciar o bate-papo, o executivo fez questão de situar a Royal Canin no cenário do mercado pet. Multinacional presente em mais de 90 países, cujo foco é “colocar a saúde e o bem estar desses animais em tudo que ela faz”, tem parcerias com mais de 15 mil pontos de venda, oferecendo um portfólio de produtos no segmento, composto por mais de 150 tipos de alimentos. “Como uma organização que investe muito na ciência da nutrição, notadamente para os cerca de 80 milhões de cães e gatos, presentes em mais de 50% dos lares brasileiros, um dos motores do nosso crescimento é a inovação. O que representou um grande desafio neste ano atípico de pandemia.” Isso porque, as restrições impostas na crise demandaram reestudos e novos planejamentos, mas representaram, por outro lado, a oportunidade de usar a internet para educar ainda mais os consumidores sobre a importância da alimentação específica para cada animal.

Dentro desse panorama, o diretor destacou que a empresa aproveitará para novos lançamentos com esse viés de uma nutrição bem representativa do seu foco. Por exemplo, em 2021, pretende trazer ao país uma linha de alimentos para tratamento de problemas bem específicos em relação à saúde dos cães. E, também, ampliar as linhas de produtos específicos para raças. Este ano, já houve o lançamento de alimentos voltados para as raças Lulu da Pomerânia, Shih Tzu e Yorkshire. “Isso está dentro do nosso DNA que é o da inovação, mas gostaria de compartilhar aqui, ao lado disso tudo, algo muito importante que ocorre no segmento pet no país: o acelerado crescimento da adoção de gatos, animais naturalmente mais voltados para a atual realidade mais indoor das famílias. O que requer uma atenção especial.”

Segundo Martella, a organização vem fazendo um forte investimento em ajudar na conscientização sobre a importância de uma postura mais preventiva no que se refere à saúde desses felinos domésticos. Pesquisas indicaram que mais de 40% dos tutores que fizeram adoção durante a pandemia não levaram o gato uma vez sequer ao veterinário. “E fazemos isso de maneira totalmente digital, com uma ampla campanha chamada ´Meu gato no Vet´, mostrando a importância da prevenção à saúde do animal. Porque ele demonstra bem menos que os cães a eventual existência de distúrbios.” Outra das providências nessa direção foi criar um podcast e um espaço para narrativas sobre cases envolvendo os gatos, inclusive para desmistificar alguns preconceitos ainda existentes sobre eles, o que incluiu uma intervenção urbana em uma importante avenida da capital paulista, com uma expressiva arte chamando a atenção para o problema.

Dentro das mudanças registradas em relação aos hábitos dos consumidores no segmento pet, nessa fase, foi sua significativa presença no universo on-line. Muitos para testar a efetividade de compras em pet shops virtualmente, mas principalmente para pesquisar sobre a disponibilidade dos próprios animais. De acordo com o executivo, pelas limitações das feiras e exposições físicas, cerca de 22% das adoções foram realizadas por meioo da internet nesse período. “Então, investimos muito no ambiente virtual também, não só reforçando nossos canais de comunicação, mas também apoiando de forma acentuada nossos parceiros lojistas, veterinários, criadores, etc. Em maio criamos a campanha ´Mais juntos do que nunca´, em meio aos esforços para a retomada das atividades num nível mais próximo ao de antes da chegada da crise.”

No entendimento dele, é preciso circular e aprofundar muitas informações no setor, por isso os esforços em apoiar os parceiros e preservar a cultura da inovação na nutrição animal. “Então, um dos grandes desafios da Royal Canin é como criar produtos para dar voz para os pets em geral, principalmente os gatos. Muitos lançamentos com esse conceito realizaremos já a partir de 2021. Um deles é uma espécie de granulado que você coloca na alimentação do animal e, pela coloração das fezes, já aponta se ele apresenta alguma problema de saúde. O que facilita já prevenir levando ao veterinário.”

Respondendo a uma indagação sobre os fatores envolvidos na produção de alimentos específicos para os pets, ele ressaltou que estão presentes tanto conhecimento adquirido quanto as novas tecnologias produtivas. Citou ainda, entre outras das novidades que serão trazidas ao país pela multinacional, alimentos que apresentam diferentes texturas permitindo mais experiências satisfatórias junto aos animais de estimação. “Percebemos hoje um engajamento muito maior dos tutores na aquisição de mais conhecimento para cuidar do animal por meio da boa alimentação. Somos uma empresa de tecnologia, de ciência, e então, temos uma grande participação na infinidade de eventos voltadas para os produtores do mercado pet.” E encerrou garantindo que, muito mais que comercializar produtos, a missão da Royal Canin é inovar na nutrição animal e educar os consumidores sobre todos os cuidados que envolvem a responsabilidade de ser o tutor de um pet saudável e bem tratado.

O vídeo com a entrevista na íntegra está disponível em nosso canal no Youtube. Aproveite para também se inscrever e ficar por dentro das próximas lives. Amanhã (01), a série de entrevistas, receberá Renato Rocha, diretor de vendas da Suvinil, abordando o tema da cultura da inovação apoiando os novos hábitos; na quarta, Rafael Caetano, diretor de marketing e canais da Icatu; na quinta, Marcel Bianchi, head de parcerias da ClickBus; e, encerrando a semana, o “Sextou?” debaterá o peso da inovação nos resultados dentro da experiência do cliente, com a presença de Roberta Isfer, diretora de inovação da Visa América Latina e Caribe. Melissa Kfouri, líder da Estação Algar Telecom e Guilherme Sawaya, diretor de transformação digital da Cyrela.