Foodtech Raízs cresce 150% no primeiro semestre

Startup se consolida como supermercado on-line de orgânicos que valoriza o pequeno produtor, apontando para mudança de hábitos de consumo

0
35
Tomás Abrahão (direita), CEO e fundador da Raízs, acompanha pequeno produtor
Tomás Abrahão (direita), CEO e fundador da Raízs, acompanha pequeno produtor

A Raízs, foodtech que conecta pequenos produtores com consumidores finais em capitais, registrou crescimento de 50% na sua base de clientes nos primeiros seis meses do ano. Como reflexo, a startup, focada no conceito de alimentação saudável, viu seu faturamento se elevar em 150% no período, movimentando cerca de 10 toneladas de orgânicos provindos de agricultura familiar. “Com mais tempo para as famílias cuidarem da alimentação e da saúde, esse tipo de consumo veio para ficar. Segundo os dados do Ministério da Agricultura, o Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos cresceu quase 10%, de 2020 para cá”, comentou Tomás Abrahão, CEO e fundador da Raízs.

Além disso, segundo o executivo, o número de itens que a plataforma oferece também cresceu. Hoje são mais de 2500 itens em categorias como mercearia, bebidas e laticínios, ovos, aves, carnes, pescados e produtos para a casa, “o que faz da Raízs o principal supermercado on-line de orgânicos e saudáveis do Estado de São Paulo, garante ele, ao assegurar, também que não se trata de um supermercado como os outros: “oferecemos uma infinidade de produtos, mas o que nos diferencia dos principais players do mercado é os que vendemos passam por um crivo de curadoria. Priorizamos produtos artesanais, de agricultura familiar, de manejo sustentável, que têm um compromisso com bem-estar animal, e com a pesca não predatória. São os que valorizam os saberes tradicionais, buscam soluções de embalagem menos nocivas ao meio-ambiente e não contêm ingredientes com nomes impronunciáveis. Aqui só entram produtos clean label, que nós sabemos de onde vem e que não fere nenhum dos nossos propósitos”.

De acordo com Abrahão, essa preocupação também é evidenciada nas embalagens dos produtos que os clientes recebem, todos com menos plástico e feitos com materiais recicláveis. “Mas, sem perder a facilidade de receber seus produtos em casa com ajuda da tecnologia. E outro grande pilar que nos diferencia é que estamos, de fato, do lado do pequeno produtor, remunerando-os de maneira justa, dando suporte técnico e financeiro, e contando as histórias dessas famílias”. A foodtech tem iniciativas como o Fundo do Pequeno Produtor, para a qual destina parte de seu faturamento para quem planta. Ao todo, são 900 produtores certificados e auditados pelos maiores selos da área, como o Produto Orgânico Brasil, de reconhecimento internacional, emitido pelo IBD (Associação de Certificação Instituto Biodinâmico).