Movimento ágil de inovação

Diretor-geral da Edenred F&M reflete sobre as novidades trazidas como respostas aos desafios do momento

0
17
Jean-Urbain Hubau (Jurb)
Jean-Urbain Hubau (Jurb)

As transformações impostas pela pandemia fizeram acelerar de forma acentuada o movimento de inovação na divisão de frota e soluções de mobilidade da Edenred. Depois de ver os negócios no país se retraírem quase pela metade no início da crise, o crescimento da empresa voltou a bordo de novidades que tem na transformação digital seu principal motor. Entre elas está o Freto, aplicativo que permite alto nível de negociação e confiabilidade, tudo via on-line, entre indústrias e caminhoneiros. Esse e outros lançamentos fazem parte das análises sobre o momento compartilhadas, hoje (23), por Jean-Urbain Hubau (Jurb), diretor-geral da divisão, ao longo da 166ª live da série de entrevistas dos portais ClienteSA e Callcenter.inf.br.

Iniciando o bate-papo sobre a transição causada pela pandemia, o executivo francês explicou que havia morado no Brasil entre 2009 a 2014, se transferindo depois para o México, onde dirigiu as operações da companhia até 2018. Ao retornar ao país, sua missão se concentrava em contribuir para a consolidação das novidades em função de aquisições estratégicas feitas aqui pelo grupo. Nesse ínterim, surgiu a pandemia que, segundo ele, não havia outra forma de agir senão reativamente. “A urgência passou a ser a necessidade de proteger as pessoas, o que exigiu muitas ações. Dentro disso estava o modelo de trabalho flexível que já estudávamos para um futuro próximo e passou a ser exigido no presente. Vínhamos do registro de uma experiência parecida no México, em 2017, causada pelas consequências de um forte terremoto. Mas, principalmente em função de possuirmos a tecnologia adequada, conseguimos  manter as operações quase no mesmo nível de produtividade. Houve apenas um momento, entre abril e maio, em que o impacto no negócio foi muito sentido, principalmente porque havíamos entrado no ano de 2020 com muita força.”

A crise sanitária, de acordo com Jurb, afetou o grupo de forma global, com muito mais intensidade na Europa, que é, ao lado da América Latina, os dois principais polos de atuação da companhia. “Mas já estamos em crescimento novamente e, mesmo considerando que o ano não terminará com a performance que prometia antes da crise, será um bom ano. Conseguimos nos organizar bem e estamos otimistas também para 2021.” O maior destaque dos desafios enfrentados está no nível da aceleração das transformações que se apresentavam antes apenas como tendências de médio e longo prazos. Um dos principais exemplos está na questão da mobilidade. As perspectivas eram de oferecer produtos e serviços para os proprietários de veículos. Mas, agora, ele entende que, daqui em diante, tudo mudou. As pessoas vão se locomover das mais variadas possibilidades.

O diretor-geral também se surpreendeu com o nível que alcançou a transformação digital. Nesse sentido, indagado sobre o impacto esperado, Jurb confirmou que vem se consolidando a tendência da digitalização dos sistemas. Citou como exemplo o lançamento do Freto, plataforma que funciona como um marketplace que auxilia as indústrias a se encontrarem com os caminhoneiros autônomos, negociando o transporte das cargas, tudo 100% no digital. “Trata-se de um aplicativo cujas características de confiabilidade conseguimos desenvolver com certa facilidade, o que já estava no nosso DNA por possuirmos o maior produto de gestão de pagamentos de fretes do país. O que fizemos foi criar um onboarding mais consistente dos caminhoneiros. Atualmente proporcionamos mais de três mil negociações digitais por dia.”

A verdade é que o segmento de transportes de cargas no Brasil estava atrasado. “Havia mesmo grande necessidade de torná-lo mais digitalizado, com ferramentas que ajudem todas as partes envolvidas. Isso representa um grande potencial de oportunidades.” Nessa linha de pensamento, o executivo destacou outro produtos que é o cartão-combustível utilizado no gestão de frotas e que já conta com 750 mil usuários no país. Outro, esse com cerca de 200 mil em uso no mercado, é o cartão-combustível que as empresas oferecem aos executivos. Soluções de parcerias com empresas voltadas para a mobilidade também estão no rol das boas perspectivas apresentadas por Jean-Urbain. Ele acenou com um aplicativo multimodal com a capacidade de atender a qualquer tipo de necessidade de locomoção.

No encerramento do bate-papo, ainda detalhando as tendências já incrementadas e inovações a caminho, o diretor-geral disse que, atualmente, os clientes se concentram nos carros-chefes da empresa: gestão de combustível e gestão de manutenção de veículos. “Mas vão se tornar produtos muito mais avançados e com muito maior conveniência para os usuários através de inovações incrementadas pelo digital e a automação. Além disso, estamos ampliando para outros aspectos que demandam uma boa gestão, tais como documentação, multas, etc. Somos uma empresa de tecnologia e não de produtos. Por isso, queremos oferecer ao gerente de frotas uma plataforma com camadas que cubram todas as suas necessidades, cruzando informações.” E finalizou destacando as ações sociais por meio das marcas da organização, ao longo da pandemia, que chegaram a auxiliar mais de 30 mil famílias.

O vídeo com a entrevista na íntegra está disponível em nosso canal no Youtube. Aproveite para também se inscrever e ficar por dentro das próximas lives. Amanhã (24), a série de entrevistas receberá Luiz Xavier, diretor sênior de customer servisse da Samsung, que falará da estratégia do pós-venda multicanal; na quarta, o tema da união da cultura com inteligência será debatida por Luciano Passos e Wendy Quesada, respectivamente, o diretor da SYKES Brasil e diretora de operações da SYKES América do Sul; e, na quinta, Jonatas Melo, diretor de customer servisse da GetNinjas; encerrando a semana, o “Sextou?” debaterá o desafio das lideranças diante da cultura da inovação, com a presença de João Marcus, tech manager do Inter e William Andrade, superintendente de planejamento, qualidade e desenvolvimento na Paschoalotto.