Top cinco marcas favoritas

0
10
O Boticário, Natura, Procter & Gamble, Johnson & Johnson e Unilever foram apontadas como as cinco empresas de cosmético, higiene e perfumaria mais bem colocadas, quando o assunto é a capacidade das instituições em gerar e proteger valor não apenas para si, mas também para todo o grupo que compõem os seus stakeholders: consumidores, acionistas, funcionários e sociedade. O setor foi a base para a DOM Strategy Partners criar o ranking MVP (Mais Valor Produzido) Brasil – Beleza e Cosméticos. 
Para entrar no ranking, as companhias foram avaliadas em fatores como Eficácia da Estratégia Corporativa, Resultados Gerados, Crescimento Evolutivo, Valor das Marcas, Qualidade de Relacionamento com Clientes, Governança Corporativa, Sustentabilidade, Gestão de Talentos, Cultura Corporativa, Inovação, Conhecimento, Grau de Transformação e Uso das Tecnologias Digitais, dentre outros. A resposta sobre capacidade de cada empresa gerar e proteger valor para si e para esses públicos foi feita a partir da quantificação das quatro dimensões que definem o Valor Corporativo de uma companhia: Resultados, Reputação (definida como Credibilidade/Imagem), Competitividade e Riscos.
A pesquisa se baseou na metodologia EVM, Enterprise Value Management, tática que defende a tese de que o valor produzido pelas empresas, tanto gerado, como protegido, seja este tangível ou intangível, é agregado (ou destruído) e materializado (quantificado) em função da percepção de valor apreendida e materializada pelos stakeholders. A partir da premissa do conceito EVM, as principais companhias cosméticas e de higiene pessoas do país passaram por uma avaliação de 0 a 10 em relação às suas performances nos ativos tangíveis e intangíveis, selecionados como direcionadores de geração e/ou proteção de valor pelas empresas. O levantamento e o resultado analítico também uniu interações, pesquisas e monitorias feitas pela DOM com os diferentes públicos das empresas mais relevantes dos setores.
“A necessidade de criar um ranking se deu após constatar que o País é um grande pólo desenvolvedor deste mercado. Pesquisas recentes apontam o Brasil como o terceiro mercado mundial de produtos de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos, ficando atrás apenas de Estados Unidos e Japão. A proposta foi entender como este setor aquecido se comunica, constrói e mantém a sua capacidade para gerar e proteger valor com os seus diferentes públicos, ativos e os indicadores que reverberam em credibilidade, imagem positiva, sistema de gestão robusto e eficácia de seu motor competitivo”, afirma Daniel Domeneghetti, CEO da DOM Strategy Partners.