Aproveite. Ainda dá tempo de inscrever seu case

O canal para quem respira cliente.

Com foco em saúde e viagens, busca por empréstimos prevalece na vida dos brasileiros  

Rodrigo Cezaretto Marques, Chief Operating Officer da FinanZero

Índice FinanZero indica que pedidos de crédito pessoal saltaram 16% em 2022, principalmente para quitar dívidas 

Os brasileiros querem cuidar mais da saúde, viajar e ter opções mais flexíveis de solicitação de empréstimos para realizar estes desejos. É o que aponta o balanço anual do IFE – Índice FinanZero de Empréstimo 2022,segundo o qual, nos dois últimos anos, as solicitações que mais cresceram tinham como foco o investimento em saúde, com um salto de 208%, seguido por viagens, que registrou um aumento de 189%.

O movimento acompanhou o crescimento dos próprios pedidos de empréstimo como um todo, que em 2022 cresceram 16% em relação a 2021, e 128% ante 2020. Neste período, os brasileiros demonstraram preferência pelas modalidades de empréstimo on-line. Só em dezembro do último ano, 68% dos solicitantes disseram preferir esta opção em detrimento das agências físicas.

A principal razão para a solicitação de um dinheiro a mais seguiu sendo o pagamento de dívidas. De acordo com os dados de buscas no Google, em dezembro, os internautas pesquisaram opções de empréstimos on-line, com garantia de celular e com fácil aprovação para negativados quitarem seus boletos. Um dos principais motivos era o pagamento da conta de energia. Até um dos modelos de empréstimo ilegais como a agiotagem cresceu 130% nas buscas. A instabilidade econômica tem levado ao alto nível de endividamento das famílias brasileiras. De acordo com o último levantamento realizado pela CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) 30,3% das famílias apresentaram algum tipo de conta ou dívida em atraso em dezembro.

Destaque para saúde e viagens

Diferente de períodos anteriores, os pedidos de empréstimo para saúde se destacaram no último ano. O motivo fechou 2022 na quinta posição das razões mais comuns, sendo escolhida por 7,3% dos solicitantes. No mesmo movimento, viagens voltou a aparecer no top 10 dos motivos mais comuns, representando 2,3% das solicitações, também acompanhando o aumento do turismo no Brasil. Segundo o Ministério do Turismo, o setor acumulou uma alta de 36,9% no volume de serviços de janeiro a setembro de 2022 na comparação com o mesmo período de 2021.

“A pandemia deixou muitos brasileiros abarrotados de dívidas. Percebemos isso quando muitos pedidos são feitos apenas para o pagamento de contas básicas. No entanto, a volta da economia também impulsionou muitos a investirem novamente em desejos pessoais. 2023 deve acompanhar esta tendência”, analisou Rodrigo Cezaretto, diretor operacional da FinanZero.

Perfis regionais e pessoais

Diferente de outras regiões do Brasil, no Nordeste predominou entre os solicitantes de crédito a vontade de investir em um negócio próprio, sendo a principal razão dos pedidos em 8 dos 9 estados da região. No ranking nacional, completam a lista dos motivos mais populares: pagamento de dívidas (29,1% das solicitações), renovação da casa (15,8%), investimentos (12,5%), estudos (5,6%), compras (5,9%), ativos (4,2%), festas (1,2%) e estética (0,4%).

Segundo dados do índice, 76,7% dos pedidos de empréstimos foram realizados por brasileiros sem nível superior. Os homens foram maioria 50,5% dos solicitantes e a região Sudeste concentrou a maioria dos pedidos (51,3%). Os dados também revelaram uma diferença significativa entre a renda de quem solicita empréstimo dando garantia um veículo e quem o faz com a própria casa como garantia. Enquanto no primeiro caso a média de renda dos solicitantes ultrapassa os 6 mil reais, no segundo ela fica em 1,5 mil. Os solicitantes com renda menor também são os que mais têm como objetivo dos seus empréstimos a renovação da casa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima