AES e Tivit: parceria para capacitação

0
0



A Tivit, empresa de serviços integrados de TI e BPO, e a AES Brasil, grupo do setor de energia, anunciam parceria para formação de mão-de-obra qualificada, por meio das Casas de Cultura e Cidadania, projeto desenvolvido pelo grupo e administrado pela H. Melillo. Com o acordo, a Tivit amplia ainda mais sua atuação social ao ministrar cursos de capacitação aos frequentadores do projeto, preparando-os profissionalmente para atuação em sua unidade de negócios de terceirização de processos de negócios (BPO).


A oficialização da parceria aconteceu durante o evento SENDI 2010. Na ocasião, o acordo foi assinado por Britaldo Soares, presidente da AES Brasil, e Marcello Zappia, diretor de desenvolvimento humano e organizacional da Tivit. Os cursos acontecem em duas unidades das Casas de Cultura e Cidadania, em Osasco e São Paulo.


“A Tivit está muito satisfeita com essa parceria que se propõe a formar profissionais qualificados para um mercado que não para de crescer, que é o de BPO”, afirma Marcello Zappia. “É muito importante que as empresas se unam em torno de objetivos comuns, que compreendem ações sociais e desenvolvimento econômico. Assim, a Tivit e o Grupo AES deram um passo certeiro e que, com certeza, será de muito sucesso”, conclui Zappia.


Todos os alunos aprovados nos cursos poderão participar de processo seletivo para trabalhar na unidade de negócio de terceirização de processos de negócios (BPO) da Tivit. Os aprovados seguirão para o processo de contratação e, assim que começarem a atuar na empresa, serão acompanhados por um supervisor, que atuará como um tutor durante sua adaptação.


Com 40 horas de duração, os participantes do curso têm entre 20 e 45 anos, de ambos os sexos. As atividades são realizadas de segundas a sextas-feiras, das 19h às 21h, e aos sábados, das 8h às 12h. A primeira turma, fruto da parceria, já capacitou 76 profissionais. O curso também terá novas vagas no próximo ano.


“A iniciativa possibilitará que os profissionais iniciantes alavanquem toda esfera social que o envolve. Ele e sua família passarão a ter maior poder de compra e melhores condições de alimentação e educação. Com uma melhora na qualidade de vida, sem dúvida, melhorarão suas relações pessoais, o que refletirá diretamente na transformação da comunidade”, finalizou Carmen Silvia, gerente-geral do projeto Casa de Cultura e Cidadania.