O canal para quem respira cliente.

Crise e capital humano: como gerir?

Pensar capital humano apenas no curto prazo para reduzir custos nas corporações – com diminuição de investimentos em treinamento, promoções, benefícios e remuneração de colaboradores – é a maior armadilha para enfrentar o longo prazo, de acordo com o administrador Idalberto Chiavenato: “Muitas vezes, a redução no efetivo é tão forte que, quando a situação melhora, a recuperação da empresa é afetada intensamente, por não dispor das competências suficientes para um novo voo.”
Especialista no estudo das pessoas como diferencial competitivo nos negócios, Chiavenato diz que e o tema é o maior desafio no mercado. Prova disso é o lançamento da 10ª edição do seu livro “Recursos Humanos: o capital humano das organizações”, publicado pela Editora Elsevier. A publicação foi totalmente reformulada e tem material interativo online no site da editora.
Um dos destaques é a ampliação da abordagem sobre avaliação do desempenho, assunto que ganhou nova dimensão nos últimos anos. Também estão maiores os capítulos sobre qualidade de vida no trabalho e relações com colaboradores; gestão do conhecimento corporativo e sua influência nas competências organizacionais; e gestão da informação como base do processo decisório e da gestão do conhecimento.
No livro, o autor aborda a mobilidade das novas gerações versus retenção de talentos, que exige do marketing interno a criação de “cognições de valência” – pesquisa sobre o que as pessoas desejam e busca de meios para satisfazê-las, na medida do possível. Também dá mais ênfase ao papel dos stakeholders, aos novos aportes para criação e agregação de valor e de excelência, às competências e ao envolvimento participativo de gestores e equipes no processo seletivo.
Ficha Técnica
Título: Recursos Humanos: o capital humano das organizações
Autor: Idalberto Chiavenato
Editora: Elsevier
Páginas: 544
Preço: R$ 179,90

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima