Grupo Services migra parte da operação

Tendência é que 65% da empresa adote o regime de trabalho remoto

0
2

Com o distanciamento social sendo a solução do momento em meio à pandemia do Covid-19, o teleatendimento passou a ser considerado serviço essencial à população, com decretos dos governos estaduais e federal oficializando que a prestação de serviços do setor continuasse. Com isso, no dia a dia, as empresas precisaram se adequar em tempo recorde a uma nova realidade: a de funcionários trabalhando remotamente. É o caso do Grupo Services, com mais de 7 mil funcionários distribuídos na região Sudeste e Sul. Na empresa, mais de mil colaboradores adotaram o regime de trabalho remoto e a tendência, nos próximos dias, é que 65% da empresa também siga por este caminho.

Tudo isso também exigiu uma mudança intensa na forma de trabalhar presencialmente. “Mais do que mandar parte para casa, adotamos medidas rígidas de assepsia nas nossas unidades: promovemos o distanciamento das mesas, monitoramento de aglomerações em áreas internas e externas, álcool gel em abundância a disposição e esterilização constante dos equipamentos”, afirma Jansen Alencar, CEO do Grupo Services. “O contact center é a forma que as empresas têm de se comunicar e atender os clientes, ainda mais em um momento de crise, em que a recomendação é não sair de casa. Logo, é um serviço que vive um momento de extrema importância.”

Cientes do receio que os funcionários enfrentam durante a pandemia, empresas como o Grupo Services permanecem alinhadas com todas as determinações dos órgãos oficiais. Por isso, busca evitar, também, a paralisação dos serviços em caso de descumprimento das medidas. Nessa semana, a Secretaria da Justiça, Família e Trabalho do Governo do Paraná vistoriou o trabalho na empresa, aprovando as medidas definidas para conter a proliferação do coronavírus.