O valor que o endomarketing agrega

0
0


Ricardo Bruno

O endomarketing, que se resume em ações de marketing voltadas aos funcionários das empresas, assim como o marketing, demora a ser percebido pelos empresários como um investimento a médio e longo prazo, importante para diferenciar e agregar valor a marca. As empresas esquecem ou não dão a devida importância para estas ações, que na maioria das vezes não são planejadas no orçamento, bugets de marketing e estratégia.

Um fator determinante para o sucesso de uma empresa são as relações pessoais. No livro “Endomarketing – Como Praticá-lo com sucesso”, de Saul Bekin, Júlio Ribeiro faz uma colocação muito interessante: “A atitude das empresas, seus valores éticos, o envolvimento emocional dos funcionários que as compõem e a capacidade de agregar relações afetivas adquiriram muito mais peso no processo de desenvolvimento das empresas do que a simples qualidade industrial do produto, preço ou mesmo o índice de participação no mercado”.

Para tornar concreta essa relação entre funcionário e empresa, o endomarketing usa de uma ferramenta muito importante chamada “comunicação interna”. A forma como a empresa se relaciona com o colaborador e vice-versa, é trabalhada pelo departamento de comunicação da corporação de modo que ela chegue no objetivo de maneira eficaz.

A “comunicação interna” constrói uma relação de lealdade com os colaboradores da empresa, compartilhando os objetivos sociais e empresariais da organização. A longo prazo ela fortalece a imagem e valor de mercado. As empresas tendem a passar com muito mais facilidade pelos momentos de crise se tiverem funcionários bem informados sobre os objetivos e valores do grupo onde atuam.

No entanto, a área de comunicação de uma empresa não é só voltada para os funcionários, é muito importante que ela se relacione também com o público externo. Terceiros, fornecedores e o próprio consumidor devem receber informações estrategicamente trabalhadas pela área de comunicação. Assim, a imagem da organização será ainda mais forte e todos enxergarão a empresa da mesma maneira.

Nos últimos anos, algumas agências estão se especializando em “comunicação coorporativa”, auxiliando as empresas a tornarem as ações mais atrativas para melhor seduzir o público alvo. Essas agências costumam ter estruturas mais enxutas, conseguindo assim atender o cliente com mais agilidade e melhores preços, viabilizando as ações definidas pelas áreas de comunicação.

Hoje a globalização muda freqüentemente a realidade em que vivemos, principalmente na área da comunicação, exigindo cada vez mais competências e habilidades do profissional que se dispuser a trabalhar nesse mercado extremamente competitivo e dinâmico.

Ricardo Bruno é sócio-diretor da Quiz Brasil Comunicação Integrada.