Renzetti é nomeado CEO

0
9
A Almaviva anunciou Francesco Renzetti como CEO da operação no Brasil, respondendo a Marco Tripi, presidente da empresa e CEO global do Grupo. Em paralelo, o executivo seguirá como diretor geral da Holding Almaviva e presidente da Almaviva de Colômbia.
Entre os desafios do novo cargo está manter o crescimento, mesmo com a desaceleração econômica brasileira. Entre 2012 e 2015, a Almaviva do Brasil teve crescimento de receita anual acima de 40%, sendo que nos últimos dois anos, inaugurou cinco unidades e contratou em média 16 mil pessoas. “Apesar da crise econômica, a Almaviva do Brasil segue no caminho certo. Não é por acaso que o nosso maior crescimento está representado pelos últimos quatro anos – período no qual a economia do País desacelerou e entrou em recessão. No meio dessas dificuldades, colocamos os nossos negócios na trajetória da evolução, propondo para o mercado modelos operacionais e de remuneração diferentes, aumentando a nossa eficiência operacional e utilizando tecnologias próprias – desenvolvidas pela Almawave, nosso braço tecnológico”, explica o CEO.
O executivo ainda afirma que, mesmo diante do momento crítico, enxerga mais oportunidades que dificuldades. “Conheço bem o que aconteceu nos últimos anos na Europa, em particular na Itália, em mercados mais maduros que o brasileiro. E posso garantir que, aqui no Brasil, temos ainda enormes espaços para manter e fazer crescer o tamanho e a rentabilidade dos nossos negócios”, comenta.
Com mais de 30 anos de experiência, Renzetti formou-se em Direito pela universidade La Sapienza de Roma (Itália). De 1989 a 1999, foi sócio do Escritório Persiani – Advogados Associados. Durante esse período, também foi assistente no Instituto de Direito Processual Civil da universidade onde se graduou. Além disso, entre 1985 e 2005, exerceu numerosos cargos públicos na Itália. Em 2000, o executivo iniciou as atividades no Grupo Almaviva como diretor jurídico e, ao longo do tempo, assumiu cargos e responsabilidades crescentes, até ser nomeado, em 2009, diretor geral do Grupo Almaviva, cargo que mantém até os dias de hoje. Em 2013, foi nomeado vice-presidente executivo da Almaviva do Brasil e, em 2015, presidente da Almaviva de Colômbia.