Saúde da Voz é tema de campanha na Atento

0
3


A Atento Brasil criou uma campanha de saúde para orientar os 54 mil funcionários sobre o bom uso da voz, não apenas na profissão, mas também no dia-a-dia. Durante a semana de 16 a 21 de abril, haverá uma intensa programação de atividades e disseminação de informações, para atender às necessidades daqueles que fazem uso do telefone no trabalho.

“A campanha visa propiciar o entendimento da voz como veículo de relacionamento”, diz o coordenador da Campanha e Gestor de Medicina e Segurança do Trabalho, Claudemir de Oliveira. “Também queremos promover ações que favoreçam a conscientização de nossos funcionários quanto à importância da saúde vocal e a prevenção de alterações na voz”, complementa.

Os ambientes das 24 centrais de atendimentos próprias e mais 15 centrais de atendimento remotas da Atento no país se transformarão para receber as equipes especializadas. De forma lúdica, os profissionais da área de saúde realizarão intervenções nas operações, míni-palestras, distribuição de folhetos explicativos e outros materiais de comunicação dirigida. Os funcionários apresentarão os resultados das oficinas aos fonoaudiólogos e concorrerão a prêmios como squeezes, camisetas, bonecos com mensagens e folhetos com histórias em quadrinhos. Para o encerramento da campanha está programada a apresentação de um coral.

Para cuidar da saúde vocal, o SESMT, Serviço Especializado em Segurança e Medicina do Trabalho, dá dez dicas:

1 – Beba pelo menos 8 copos de água em temperatura ambiente todos os dias, principalmente durante as atividades em que a voz é utilizada;

2 – Fale devagar e faça pausas para respirar;

3 – Evite excessos alimentares antes de usar a voz profissionalmente;

4 – Use roupas confortáveis;

5 – Lembre-se de que cigarro, álcool e drogas fazem mal para o corpo e afetam a voz;

6 – Não modifique sua voz ao falar;

7 – Garanta uma boa alimentação, um bom sono e um tempo para descansar. Eles fazem bem para seu corpo e para sua voz;

8 – Evite pigarrear, tossir e sussurrar;

9 – Procure o auxílio médico em casos de tosses, pigarros e alterações na voz que perdurem mais de duas semanas;

10 – Não use pastilhas ou sprays analgésicos sem indicação médica.