A alavanca da inovação

0
1
Autora: Andrea Cavallari
A inovação é um tema que vem sendo muito discutido pelos gestores de grandes organizações devido à agilidade do mercado e à constante evolução da concorrência. Empresas que não inovam em seus produtos e na forma de prestar serviços aos clientes, certamente, estão perdendo mercado e o prestígio de suas marcas para novas e, muitas vezes, pequenas organizações, que estão surgindo de forma bem agressiva, na maneira de pensar e atender as necessidades de seus consumidores.
Com base na comparação entre os modelos de gestão tradicional, em que grandes companhias hierarquizadas trabalham em silos, e de gestão colaborativa, com equipes enxutas e baseada em liderança situacional, observamos que a colaboração é a peça chave para alavancar a inovação. Através dessa filosofia, os silos são quebrados, a organização funciona de forma mais ágil e o mix de pessoas com diferentes habilidades, trabalhando em um único propósito, abre espaço para novas ideias e liberdade de criação. É nesse tipo de ambiente que a inovação acontece.
Mas por que muitas empresas falham na adoção da cultura de colaboração e, consequentemente, na inovação? Muitas consideram o tema extremamente importante. Mas a adoção desta cultura nem sempre é tão simples:
1# Mentalidade retrógrada: As pessoas tendem a querer desenvolver suas atividades exatamente da forma que sempre fizeram, sob o pretexto de que “sempre deu certo”. Essa atitude afasta a possibilidade de rever o procedimento para melhorá-lo ou mesmo alterar por completo a rotina. Isso representa óbice direto à implementação da cultura colaborativa.
2# Ausência de apoio da Alta Gestão: O projeto precisa receber o apoio real da Alta Gestão, sob pena de fracassar por perda de força. Ou seja, não é um projeto que possa tramitar nas camadas inferiores.
3# Falta de transparência: Em um projeto colaborativo, todos os membros precisam saber de tudo e os interesses da empresa devem prevalecer sobre os de cada integrante. Egos e posições devem ser mantidos fora deste ambiente.
4# Não ter a colaboração como um de seus valores: Inserir um projeto colaborativo em empresas que não têm e nunca tiveram a colaboração como valor, é algo difícil.  Já que primeiro é preciso mudar a filosofia e a cultura empresarial para, assim, adequá-la ao recebimento deste projeto, sob pena de insucesso na implementação.
5# Desrespeito à colaboração da equipe e de membros de outras áreas: Em culturas mais tradicionais, mesmo com a implementação do projeto de colaboração, inúmeros colaboradores recusam-se a aceitar, ou mesmo ouvir, opiniões de outros membros.
6# Carência de processos e procedimentos: Não basta compartilhar para propiciar a inovação. É necessário definir previamente os processos pelos quais as partes se submeterão para a consecução do projeto. Isso porque sem a definição objetiva de etapas, prazos e tarefas, ele poderá morrer. Sobre esse aspecto, a nomeação de um líder é essencial para mediar os debates e fazer prevalecer o cronograma de atividades originalmente definido.
7# Imposição e velocidade inadequada: A cultura de colaboração deve ser introduzida na empresa de forma gradual, demonstrada nas atividades do dia a dia. Muitas organizações decidem “virar a chave” e mudar a cultura da empresa radicalmente, impondo novos costumes que fazem os colaboradores sentirem-se desconfortáveis e confusos. É essencial que a transformação cultural seja bem comunicada e gradativa, a fim de assegurar inclusão ao invés de resistência nas pessoas.
8# Falta de comunicação dos resultados:  Mesmo os pequenos resultados, devem ser comunicados de forma constante. Ao demonstrar os ganhos obtidos com o modelo de colaboração de forma prática, com exemplos da rotina real, os colaboradores aceitam e entendem melhor a importância desta mudança cultural.
9# Não compartilhar conhecimento:  De acordo com o artigo publicado pela revista Forbes em fevereiro de 2018, as organizações inovadoras são ágeis, pois o conhecimento e experiências são compartilhados de forma rápida dentro da organização. Quando não há o compartilhamento, a organização se torna menos eficiente, a colaboração não flui e o processo de inovação é prejudicado.
10# Não liderar pelo exemplo:  Muitos líderes não estão preparados para a mudança de paradigma e, embora digam que são favoráveis, não a vivem de fato e não agem conforme o esperado. E se os líderes da organização não incorporarem o modelo de colaboração, o resultado não será positivo. Por isso, liderar pelo exemplo é um potente mecanismo para impulsionar a transformação cultural da organização.
A colaboração é o caminho para alavancar a inovação. Pense na sua organização e tente identificar se algumas das barreiras citadas acima existem. Caso positivo, tente eliminá-las, para evitar a diminuição do potencial competitivo frente a outras organizações.
Andrea Cavallari é manager of customer success at Red Hat.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCliente conectado
Próximo artigoO valor do cliente insatisfeito