Bancos quadruplicarão de tamanho até 2025

0
2



O sistema bancário mundial quadruplicará de tamanho até 2025 e atingirá US$ 1,3 trilhão em faturamento. A conclusão é do novo estudo da área de consultoria da IBM, intitulado “Nenhum banco é uma ilha: globalize-se antes que globalizem você”. Feito em parceria com a Unidade de Inteligência do The Economist, o levantamento ouviu 637 executivos de 320 empresas do setor bancário em 89 países. Mesmo com a turbulência no sistema de crédito norte-americano que tem preocupado economias do mundo todo, a pesquisa mostra que os executivos estão otimistas e apontam um caminho para o crescimento: a globalização. Mais de 40% dos entrevistados citaram a expansão para outros países como a principal oportunidade.


O levantamento aponta que existe um grande mercado a ser trabalhado pelos bancos em outras fronteiras: na China, por exemplo, o número de pessoas que ganha anualmente mais de US$ 50 mil tem crescido 15% ano a ano. Já na Índia, 41% da população ainda não possuem conta bancária. Até mesmo nos Estados Unidos, 32% dos imigrantes são “desbancarizados”.


De acordo com o estudo, mesmo os bancos que querem focar-se apenas em uma estratégia local serão afetados pelos efeitos da globalização, já que serão obrigados a reagir para não perder mercado para os novos concorrentes que surgirão em suas regiões de atuação. O desenvolvimento econômico dos países emergentes, aliado às alianças globais entre empresas, fez com que os bancos – e os riscos aos negócios – ficassem mais interdependentes.


Para alcançar novos territórios e oferecer serviços mais eficientes, 82% dos entrevistados disseram que já recorrem ou irão recorrer a parcerias estratégicas, sendo que 65% afirmaram que pretendem aumentar o relacionamento com empresas que não pertencem ao ramo financeiro, como empresas de tecnologia e de telecomunicações. Além disso, 40% afirmaram que irão associar-se a outros bancos ou empresas do mesmo ramo de atuação. “Os executivos perceberam que não podem prover tudo para todas as pessoas. Além disso, eles conseguem alcançar o mercado que almejam a um custo menor”, diz Luis Antonio Simões Gouveia, diretor da área de consultoria da IBM Brasil especializado no setor financeiro.


Mercados – O estudo da IBM analisou especificamente 35 países dos 89 onde a pesquisa foi realizada. Essas 35 regiões foram classificadas em “mercados com oportunidades” ou “mercados veteranos”. Os “mercados com oportunidades” são aqueles com grandes chances de crescerem futuramente, e os “veteranos” são os que já estão consolidados.


A Índia, por exemplo, é um “mercado com oportunidade” por conta do acelerado desenvolvimento econômico dos últimos anos e da conseqüente procura dos indianos por serviços bancários. O Brasil é outro exemplo: a classe C recebeu mais 20 milhões de pessoas que antes estavam nas classes D e E em apenas um ano (de 2006 a 2007), de acordo com pesquisa recente divulgada pelo instituto Ipsos. A migração de classes demonstra um aumento de renda dessa população, que representa um mercado a ser trabalhado pelos bancos varejistas.


A pesquisa perguntou aos entrevistados quais os benefícios esperados por eles ao expandirem sua atuação para outros mercados. Quase 80% dos que pertencem aos “mercados veteranos” disseram estar em busca de uma maior base de clientes, sendo que 60% dos que estão nos “mercados com oportunidades” responderam o mesmo. Menos de 40% dos bancos de “mercados veteranos” afirmaram estar em busca de novos produtos para oferecer aos clientes. Esse número sobe para 60% entre os entrevistados que estão nos “mercados com oportunidades”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAgis promove integração social
Próximo artigoFalcão Negro em Perigo