Como não cair em armadilhas na web

0
0


A cada dia aumentam as fraudes envolvendo a prática de Spam no Brasil. Infelizmente, o internauta é obrigado a duvidar de quase tudo antes de tomar uma atitude baseada em informação recebida por e-mail. Telefonar para aquele banco (que aparece como emissor na mensagem) e ver se o e-mail é verdadeiro, se foi de fato enviado pelo banco ou não é uma das alternativas para verificar a veracidade das informações.

Com medidas de cautela tomadas pelos usuários principalmente em relação a e-mails recebidos é possível reduzir as fraudes na Internet em até 74%. As medidas preventivas incluem não fornecer senhas, só dar dados pessoais para sites reconhecidos e de procedência confiável, não aceitar ofertas tentadoras e não abrir anexos de e-mail vindos de desconhecidos com extensão “.exe” ou “.zip”. “Identificamos milhares de mensagens bloqueadas em nossos servidores com a intenção de roubar a identidade dos usuários com o propósito de cometer crimes na Internet”, afirma Ricardo Matos gerente de tecnologia da Digiweb, empresa brasileira há nove anos no mercado de hospedagem de sites.

Para quem quer evitar cair nestas armadilhas, a Digiweb dá algumas orientações. São elas:

– Trate toda mensagem de e-mail não solicitada com desconfiança, e evite clicar em links contidos nestas mensagens.

– Fique atento a códigos de discagem estranhos e pesquise-os junto a operadoras telefônicas legítimas, evitando chamadas de longa distância e internacionais.

– Verifique o site oficial das organizações para confirmar os números de telefone do serviço de atendimento ao cliente. Mas atenção: ao fazer isso, não clique em links presentes em mensagens de e-mail, sempre digite você mesmo o endereço do site no seu navegador.

– Se possível, verifique registros antigos de ligações ou correspondências, em busca de números de telefones legítimos e outras informações. Os telefones dos serviços de atendimento a clientes também costumam constar no verso dos cartões de crédito.

– Mantenha-se atualizado sobre as últimas técnicas para roubo de identidade, por meio de boletins, sites de segurança e outras fontes confiáveis.

– Analise mensagens de e-mail recebidas em busca de sinais de phishing scam, como gramática pobre, erros de digitação, endereços Web estranhos, ou qualquer outra coisa que pareça suspeito.

– Encaminhe às autoridades e grupos especializados as mensagens suspeitas que receber.

Além das dicas da Digiweb, recomenda-se também verificar junto ao seu provedor de hospedagem e e-mail o que ele oferece para você se proteger contra Spam e como você pode ativar essa ferramenta. Geralmente bons provedores de hospedagem são capazes de fazer uma pré-análise das características das mensagens recebidas pelos usuários e classificá-las como legítimas ou spam.