Dívidas colocam namoro em segundo plano

0
1
Os consumidores paulistanos estão menos românticos e mais endividados. É o que aponta a sondagem realizada pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio). De acordo com a pesquisa, 75% dos entrevistados preferem liquidar as dívidas a presentear o ser amado. A opção explica-se pelo alto nível de endividamento do paulistano, que em maio chegou a 60%. Dentre os entrevistados, 63% têm intenção de ir às compras, contra 45% em 2006. O levantamento foi feito com 200 empresários e 960 consumidores do município de São Paulo entre os dias 01 e 04 de junho.
De acordo com a pesquisa, 72% dos homens estão dispostos a presentear no dia dos namorados, contra 54% das mulheres. Dentre as opções oferecidas no mercado, 32% escolheram peças de vestuário e calçados como forma de demonstrar seu afeto, enquanto 7% optaram por perfumes ou cosméticos e 5% presentearão com DVD´s ou CD´s. A sondagem mostra sintonia entre os enamorados, pois as escolhas entre o que comprar e o que gostariam de receber são praticamente as mesmas: 24% dos entrevistados gostariam de ganhar produtos relacionados a vestuários e calçados, 6% escolheram itens de perfumaria e cosméticos e 4% gostariam de ser presenteados com eletrônicos, como MP3, MP4 e rádios.
O valor médio do presente é de R$ 56, ou seja, R$ 2 a mais que em 2006. De acordo com os consumidores entrevistados, 52% pretendem desembolsar mais de R$ 70 no presente, enquanto 21% dos consumidores gastarão até R$ 50. Dentre os entrevistados, 68% pretendem comprar o presente à vista (cheque, dinheiro ou cartão de débito), enquanto 27% utilizarão o cartão de crédito e 2% financiarão suas compras com cheques pré-datados, carnês etc. Porém, o comerciante discorda, pois acredita que 55% das vendas serão feitas com cartão de crédito, 30% por meio de pagamentos à vista (cheque, dinheiro ou cartão de débito), 8% com cheques pré-datados e 7% com vendas à prestação.
A expectativa do comércio é de um discreto crescimento de 0,4% nas vendas da data, que é considerada a terceira melhor para o setor, ficando atrás somente do Natal e do dia das mães. No ano passado, o dia dos namorados registrou queda de 2,6% nas vendas. Esse otimismo levou os empresários a investirem na data: 35% fizeram ações publicitárias e 30% estão realizando promoções. Quanto aos estoques, 38% afirmam ter um volume maior que o ano anterior.