Engajamento, a carta na manga

0
1
Nem toda página que vende gera engajamento e nem toda página com engajamento gera vendas. Este é um ensinamento que Camila Porto, especialista em marketing para redes sociais e autora do curso “Facebook Essencial 3.0”, explica ao falar sobre engajamento nas redes sociais. Ela destaca que uma página no Facebook sem muita interação dos fãs pode usar anúncios para gerar tráfego para o site de vendas. “As curtidas, comentários e compartilhamentos na rede social geram o alcance orgânico e o boca a boca, que é um tipo de marketing muito poderoso, pois são os próprios clientes recomendando o conteúdo ou produtos da empresa”, destaca.
Ela ainda comenta que o engajamento é gerado por uma conexão do público com o conteúdo, independente de quem publicou. “Se alguém gosta de algo, tende a interagir”, conta. Ressaltando que gerar interação é diferente de autoridade, que cria conexão do público com o autor. “A autoridade é um dos gatilhos mentais mais poderosos, pois quando recebemos uma informação de uma autoridade naquele assunto, damos mais atenção”, diz. Ainda assim, Camila reforça que o engajamento é o maior trunfo da venda. “Por maior que seja a autoridade, se as pessoas não engajarem, ou seja, não quiserem aquele produto, ele não venderá”.
Receita para vender
A especialista explica que a comunicação e o posicionamento da empresa precisam estar alinhados. “Não adianta ser legal no Facebook e atender os clientes mal na loja. Tudo precisa estar conectado”. Ela conta que um site bem organizado e a presença em outras redes sociais ajudam muito, desde que haja integração em todos os pontos de contato com o cliente. O primeiro passo é conhecer o público-alvo. “Precisamos ir mais fundo e saber dos desejos, sonhos, medos, necessidades a serem atendidas que vão além do produto em si”. A partir dessas descobertas, é preciso criar uma comunicação que mostre para o cliente que aquele produto ou serviço é capaz de atender as demandas. 
Camila lembra que nem sempre oferecer o menor preço ou a melhor condição de pagamento é o mais importante. “Em muitos casos, as pessoas vão pagar mais caro se forem completamente atendidas. Tudo é questão de entender o que elas querem e como você vai oferecer isso”. Por fim, ela ressalta a importância de gerar valor antes de vender. “Nas mídias sociais, as pessoas não entram para comprar, mas para se relacionar e como o relacionamento faz parte da venda, ninguém compra de uma empresa ou pessoa que não conhece”, ensina. “Por isso, gerar valor, compartilhar informações com o cliente e formar uma comunidade são ações que fazem parte do processo de venda”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAmpro tem novo VP
Próximo artigoConcent fecha unidade em Bauru