Humor do consumidor paulistano é o melhor do ano

0
0



O consumidor da capital paulista está mais otimista, segundo apurou o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Federação do Comércio do Estado de São Paulo. Em novembro, o indicador registrou alta de 2% na comparação com outubro e atingiu 136,7 pontos, melhor índice desde maio do ano passado (138,7 pontos). Já na comparação com o mesmo período do ano anterior, a elevação foi de 1,6%.


De acordo com a entidade, a melhora no humor do morador paulistano resulta de uma percepção mais positiva acerca da situação atual do país e da sua própria condição econômica – o que naturalmente ocorre com a proximidade do final do ano e a entrada de recursos do 13º salário. O ICC varia de zero a 200 pontos, indicando pessimismo abaixo de 100 pontos e otimismo acima desse patamar.


Além disso, o ICC é composto por dois indicadores: Índice das Condições Econômicas Atuais (ICEA) e o Índice das Expectativas do Consumidor (IEC). No mês analisado, o ICEA – que registra como o entrevistado percebe a sua situação atual – passou de 147,6 pontos para 150,8 pontos, ou seja, um aumento de 2,2%. Já a percepção em relação ao futuro, contemplada pelo IEC cresceu 1,8% em relação a outubro, atingindo 127,4 pontos em contraponto a 125,1 pontos do mês anterior.


Segmentação – Na análise realizada por faixa de renda, o ICC apurou queda de 0,8% (146,5%) entre os consumidores com rendimentos superiores a 10 salários mínimos. De acordo com a pesquisa, este público está apreensivo com a situação futura. Isso fez com que o IEC tivesse queda de 3,9% em novembro e atingisse 135,6 pontos. Já quando o assunto é o presente, o mesmo público registrou elevação de 3,4% no ICEA, com 163 pontos. Todos estes dados são resultados da comparação com o mês anterior.


Já os paulistanos na faixa de renda inferior a 10 salários mínimos estão satisfeitos tanto com a situação presente e otimista quanto à futura. Em novembro, o ICEA variou 1,5% (144,1 pontos) e o IEC teve alta de 5,8% (123 pontos) e o ICC fechou em alta de 3,8% (131,4 pontos). A explicação para este comportamento é em decorrência do 13º salário no final do ano.


Na análise segmentada, os homens estão mais otimistas que as mulheres. O público masculino teve elevação de 2,4% no ICC (144,4 pontos), enquanto no feminino o crescimento foi de 1,2% (129,4 pontos). Vale destacar também que os consumidores com idade acima de 35 anos estão mais confiantes e em novembro a alta foi de 3,8% no ICC, atingindo 131,5 pontos. Já entre os paulistanos da faixa etária inferior a este patamar o crescimento foi de 0,9% (139,8 pontos).