Investimentos em TI continuarão fortes

0
1


Com a conclusão do estudo Brazil IT Spending by State 2007, que apresenta a divisão dos investimentos em tecnologia por todo território brasileiro, com a cobertura de cada estado e região do País, a IDC estima um crescimento significativo para 2007. Dos R$ 39 bilhões gastos com TI em 2006, a previsão é encerrar este ano com um orçamento de R$ 45 bilhões. Outro dado relevante apurado pelo estudo é quanto à representatividade de TI dentro do PIB nacional, aumentando sua fatia de 2% obtida em 2006 para 2,2% em 2007.

A região Sudeste, que possui a maior concentração de grandes indústrias, mantém o posto de centro investidor de TI no Brasil, respondendo por mais de 60% do total de gastos com tecnologia. Além do estado de São Paulo, que sozinho detém 35% destes investimentos, ainda concentra 25% dos investimentos gerados pelo estado do Rio de Janeiro, Espírito Santo e por Minas Gerais, este último se destacando no estudo pelo crescimento acelerado nas compras de tecnologia. Por grande parte dos investimentos com TI da região Sudeste partir das empresas de manufatura, que já realizaram suficientes aquisições de hardware e software, os gastos estão mais dirigidos para serviços.

Em relação aos investimentos em TI o Rio Grande do Sul lidera os aportes da região Sul, mas para a IDC o destaque é o Paraná. Com as indústrias se beneficiando dos incentivos fiscais promovidos pelo governo paranaense, as aplicações em TI estão em franco crescimento. “Uma vez que o setor de tecnologia é um termômetro do investimento em produção, consideramos que os estados desta região, principalmente o Paraná, estão atingindo um importante patamar de desenvolvimento, o qual se sustentará com o tempo”, explica Reinaldo Sakis, analista da IDC Brasil responsável por este estudo.

A região Nordeste é responsável por 8,3% do investimento nacional em TI. A Bahia ganha evidência, devendo investir em TI cerca de R$ 2 bilhões graças à aceleração da produção de eletroeletrônicos e componentes de Ilhéus. Na região Norte, a Zona Franca de Manaus continua a ser o principal destaque com a produção de componentes e de monitores, que é um mercado muito forte e em franca expansão no País, além de computadores, que devem acelerar ainda mais os investimentos para 2007. A IDC projeta que cerca de 60% dos investimentos de TI na região sejam realizados na Zona Franca.

Como o estudo contempla os centros de compras, o Centro-Oeste ganha destaque pelas contínuas compras de TI do Distrito Federal. Sakis comenta que, “o Governo está aumentando cada vez mais seus gastos com tecnologia para aplicar em ações de transparência para a população, inclusão digital e na melhoria de sua própria infra-estrutura. Para se ter uma idéia, 8,2% do investimento nacional em hardware será feito pelo Distrito Federal neste ano”.