MicroStrategy cria centro de suporte para AL

0
2

A MicroStrategy anunciou a criação do novo Centro de Suporte América Latina, localizado em São Paulo. Até o momento, este serviço era prestado via Washington, EUA, cidade sede da empresa, por uma equipe composta por profissionais originários de diferentes países, inclusive do Brasil. Hoje, a estratégia da empresa é distribuir Centros de Suporte nas principais regiões onde atua, Europa, América Latina e Ásia Pacifico.
“O volume de negócios na região e número de clientes justificam esta iniciativa”, diz Juan Bargagna, vice-presidente da MicroStrategy para América Latina. “E a escolha por São Paulo foi natural, uma vez que o Brasil responde por 45% a 50% dos negócios na região”. De acordo com o executivo, que veio ao Brasil especialmente para este anúncio, o país possui tradição na área de serviços. “Aqui encontram-se facilmente profissionais muito sólidos. E o Brasil é também um dos países da região com custos mais competitivos”.
Com um total de 38 pessoas, a operação da MicroStrategy no Brasil é bem maior que a de seus concorrentes. O mesmo ocorre na Argentina. A razão é a prioridade que a região sempre recebeu da corporação. A América Latina responde por uma significativa parcela de 7% do faturamento global e, em termos de rentabilidade, responde por 10%. Em 2003, o crescimento da companhia na região foi da ordem de 30%, em moeda local. “A presença da MicroStrategy na AL é maior até do que sua presença na Ásia Pacífico”, diz Bargagna. Para 2004 a expectativa é crescer 15% no mercado latino-americano, em dólar.
A equipe inicial de 4 pessoas que compõe o novo Centro de Suporte recebeu treinamento in loco de especialistas da Corporação. Na seqüência, está também previsto um treinamento no Centro de Suporte de Washington. O Centro será responsável pelo suporte á base de clientes dos 3 países onde a MicroStrategy possui atuação direta (Brasil, México e Argentina) e os demais países onde a atuação se dá via distribuidores. “As aplicações de BI, principalmente no Brasil, se sofisticaram, atingindo um nível de missão crítica. E o ativo grupo de usuários da MicroStrategy Brasil, um grupo de mais de 60 empresas, vinha fazendo esta solicitação”, finaliza Flavio Bolieiro, Diretor Geral da MicroStrategy Brasil.