Procon-SP recebe 5,7 mil queixas de telefonia móvel

0
0


A Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, atendeu 5.713 reclamações ou pedido de orientação sobre problemas com telefone celular desde janeiro deste ano. A Claro lidera o ranking das empresas que mais geraram demanda ao Procon-SP, com 1984 queixas. Na sequência, estão Tim, com 1385 reclamações, Oi (996), Vivo (842) e Nextel (506).

O grande problema ainda é a ineficiência do SAC, Sistema de Atendimento ao Consumidor, das empresas, de acordo com o diretor executivo do Procon-SP, Paulo Arthur Góes. “Infelizmente este ainda é um gargalo não só no setor de telefonia. As empresas precisam investir mais no atendimento ao consumidor de forma efetiva, dando solução aos problemas de forma fácil e rápida”, garante. O diretor explica ainda que na fase preliminar do atendimento, quando o Procon-SP procura as empresas reclamadas, o índice de solução dos casos chega a 85%.

Os principais problemas registrados são cobrança indevida, como a alteração de planos pré para pós-pago sem anuência do consumidor ou cobrança de pacote de dados ou serviços de entretenimento não solicitados, além da dificuldade de fazer o cancelamento; e serviços não fornecidos, como funcionamento precário, falhas de conexão, inoperância ou queda de sinal frequente, além da velocidade dos serviços de internet abaixo da contratada.