Rumo à mudança do self-checkout

0
0
O mercado se encontra em constante transformação. Aliás, as mudanças ocorrem todos os dias, por conta do ritmo frenético que novas tecnologias são criadas, bem como das exigências dos clientes, que buscam acompanhar as tendências mais e mais propagadas pela Internet. Umas das propostas do momento – e seguindo, como comumente, uma influência estrangeira, é o investimento em autoatendimento. Ainda que presente de forma inicial, o serviço já é feito por meio de checkouts de pagamentos em estacionamentos, shoppings, ou em caixas eletrônicos, por exemplo.
Segundo Jone Fachi, general manager da Verifone Brasil, é crescente o número das empresas que buscam por tal tecnologia e a empresa considera que, em breve, o “setor passará por uma grande mudança, especialmente no que diz respeito à experiência do cliente nos pontos de venda”. Para isso, ele sinaliza que os comerciantes devem estar preparados desde já, para oferecer a melhor experiência ao público, caso contrário a inovação não terá muitos efeitos positivos. Da mesma forma, o atendimento pessoal não acabará também, este deve ser feito no modo consultivo. “É preciso buscar novos meios para alcançar todos os perfis e as ferramentas de autoatendimento são essenciais nessa tarefa.”
Igual àquele cliente mais moderno, que é mais habituado com as máquinas, as empresas que já forem mais automatizadas também serão aquelas que se adaptarão com maior facilidade à estratégia. “O importante é que a companhia tenha sempre um bom fornecedor especialista ao seu lado, para auxiliá-la na busca por tecnologias e na implantação”, aconselha Fachi, pois ela terá o apoio técnico e a segurança de que seu serviço será bem aceito pelo consumidor. Além disso, oferecer autoatendimento é ter a chance de ser omnichannel, pois mais um canal de compra e atendimento estará disponível às pessoas. “Ele também amplia a experiência de compra e respeita o tempo do consumidor.”