Em qual colônia da crise você mora?

0
9
Autor: Edilson Menezes
Vivemos tempos difíceis.Como treinador comportamental, seria uma irresponsabilidade negar. Como empresário, entretanto, navegando por mares repletos de sereias que me convidam a ceder aos encantos de qualquer suposta crise, recuso-me a escutá-las e mantenho-me firme na direção do barco que é a minha empresa.
Você entendeu a metáfora, tenho certeza disso!
Apresentarei uma proposta talvez inédita para você. Entenda em qual grupo social está vivendo neste exato momento. Esta compreensão pode, espero, permitir que abandone um grupo e venha para o outro, porque não há sentinelas nestas colônias da crise. Você pode ir e vir com total liberdade para escolher o seu lugar.
Colônia 1
É composta por pessoas que alardeiam os efeitos da crise. Muitas delas são preguiçosas à espera de férias coletivas que possam vir a partir do medo que impede seu patrão de comprar, produzir e gerar riquezas.
Encontramos neste grupo também empresários temerosos que estão desesperadamente à procura de pessoas que pensam como eles. Inconscientemente, pensam que chorando juntos, vai ser mais fácil suportar a crise.
– E ainda tem gente que perde tempo com este negócio de motivação, como se isso resolvesse alguma coisa nesta baita crise! – Afirmam os eternos insatisfeitos.
Colônia 2
Há muita gente que tem vivido por aqui esofrendo os efeitos da crise. Em geral, eles têm desejo de mudança, mas pouca ou nenhuma ação. São desanimados e estão à procura de qualquer consolo da mídia, dos palestrantes ou de alguém que possa dizer da maneira mais maternal possível:
– Mantenha-se firme. Isso vai passar!
Embora não sejam tão pessimistas quanto os integrantes do grupo 1, estão com dificuldade de encontrar motivos táteis para o ânimo.Diversos moradores da colônia 1 migraram recentemente para a 2 porque entenderam que o dinheiro cada vez mais suado não fica esperando que decidam parar de reclamar.
Arregaçaram as mangas para a boa e saudável labuta. Compreenderam também que enquanto estavam lá, reclamando, muitos continuavam sua ascensão na carreira.
– O negócio é rezar para que isso passe logo! – Muitos dizem.
Colônia 3
Seus integrantes estiveram na colônia 1 e pesquisaram rapidamente algumas estratégias impulsionadoras para evitar a vida nesta colônia pandêmica. Passaram diante das muralhas nas quais estão asilados os sofredores da colônia 2 e transcenderam.
Resolveram que o lamento, por mais apelo que possa encontrar e mais ruído que possa ecoar, não resolve seus anseios, não coloca alimento na mesa, não permite ascensão na carreira e ainda impede que coloquem a cabeça no travesseiro com a certeza de que fizeram o melhor possível naquele dia.
A constatação gerou questionamento, que frutificou soluções e como benefício, resultados promissores.
Quando um empresário decide parar sua produção porque está com medo de não vender, ele permite o concorrente acelere o processo produtivo, já que os fornecedores de ambos beneficiarão este segundo pela coragem de continuar comprando.
Os mais pessimistas, moradores da colônia 2, dirão:
– É, mas quero ver se todos os empresários pararem…
Eu tenho apenas 40 anos e já não consigo mais contar quantas crises presenciei. Quando comecei, eu morava na colônia 1. Era inexperiente, supunha que quanto mais discordasse de tudo e todos, melhor ficaria minha vida. Doce ilusão. Alguns anos depois, minha casa era o grupo 2. Pensava que as coisas eram assim mesmo e não tinha jeito.
Um dia, porém, quando já acumulava mais de 15 anos vivenciando a maravilhosa experiência da arte de vender e liderar, os treinamentos comportamentais trouxeram a melhor de todas as respostas.
Eu ainda não alcançara o sucesso porque até ali não fazia a menor ideia de seu significado. Corria atrás dele, mas vivia na colônia 1, onde sucesso é reclamar.
Depois, o procurei na colônia 2, mas ali só encontrei conformismo.
A residência fixa no grupo 3, cercado de pessoas que pensam e agem positivamente, trouxe o sucesso. Não exatamente aquele cheio de glamour que preenche critérios descartáveis, mas o sucesso conforme eu sempre sonhei: ajudando pessoas enquanto cumpro minha missão maior de vida.
No olho do furacão da crise anterior, criei o serviço de consultoria literária e hoje tenho agenda cheia até janeiro de 2016. A revisão artística, produto desta consultoria, tem ajudado pessoas físicas e jurídicas que moram na colônia 3 a narrarem suas inspiradoras histórias. Desta maneira, automaticamente eu e os autores que me contratam convidamos os moradores das colônias 1 e 2 a experimentarem a vida abundante que a colônia 3 oferece.
Por abundância, não estou me referindo somente ao dinheiro. Porém, ele sobeja quando se vive na colônia 3, já que nas outras duas serve apenas para pagar contas. Refiro-me, porém, aos ricos de pensamento, atitude e filosofia de vida.
O universo tem sido muito generoso comigo e venho conhecendo pessoas incrivelmente talentosas. Neste momento, minha consultoria atende empresários, esportistas profissionais, médicos renomados e formadores de opinião das mais diversas correntes.
E você, em qual colônia mora?
A corretagem de imóveis é um ramo muito sério e devemos fechar negócio apenas com quem confiamos muito. Então, se me permite, quero lhe indicar alguém muito competente para encontrar a sua casa dos sonhos na colônia 3: você!
Mas, a escolha, como sempre, é apenas sua!
Edilson Menezes é treinador comportamental e consultor literário. Atua nas áreas de vendas, motivação, liderança e coesão de equipes. ([email protected])