Clique e visite a landing do Congresso ClienteSA 2022

O canal para quem respira cliente.

Gestão financeira para o sucesso das empreendedoras

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Andrezza Rodrigues, fundadora e CEO da HerMoney

CEO e fundadora da HerMoney relata as etapas de construção de uma assistente financeira virtual no universo feminino

A mortalidade infantil das microempresas pilotadas por mulheres é três vezes maior do que as fundadas e conduzidas por homens. Essa constatação, revelada em pesquisas, tem como um dos fatores principais e determinantes a falta de uma adequada gestão financeira do negócio. Foi da detecção de como mergulhar, entender e buscar soluções para essa dor que impede pessoas do sexo feminino a darem vazão à sua veia empreendedora, ultrapassando barreiras culturais e históricas, que nasceu a HerMoney. Surgida em plena pandemia, depois de um período de experimentação, a startup já se constitui hoje em uma plataforma que oferece solução sob medida para o controle do dinheiro junto a mais de 2 mil  microempreendedoras. Contando essa trajetória, construída à base de muita escuta ativa, e de como se desenvolverá o programa chamado “Adote uma Empreendedora”, Andrezza Rodrigues, fundadora e CEO da HerMoney, participou, ontem (05), da 476ª edição da Série Lives – Entrevista ClienteSA.

Fazendo questão de começar pelo conceito inédito da startup – o primeiro controle de sistema financeiro 100% pelo Whatsapp na América Latina –, a executiva lembrou que, quando nasceu, há mais de dois anos, a HerMoney já se apresentava como pioneira no apoio à gestão financeira de empreendedoras. O ponto de partida para enxergar a oportunidade foi a própria carreira profissional da fundadora. Contadora por formação, ela se especializou em planejamento financeiro estratégico, controladoria e, há cinco, anos gestora de startups. Com todo esse background, a CEO se surpreendeu ao se deparar com as constatações de uma sondagem do Sebrae, de 2019, a partir do programa “Sebrae Delas”, voltado para entender porque as mulheres, mesmo se configurando a maioria na sociedade, apresentam presença inexpressiva à frente dos negócios.

Os dados que brotaram dessa iniciativa da entidade revelaram um quadro bem negativo: por exemplo, 66% das iniciativas empreendedoras pilotadas por mulheres eram desprovidas de qualquer controle financeiro. Um dos fatores que explicam outro indicador do estudo, o fato dessas organizações falirem três vezes mais rápido que a dirigida por homens.

“Eu, como especialista e consciente de o quanto a gestão das finanças é fator de contribuição para a sobrevivência e crescimento dos negócios, percebi o potencial que significava atender a essa dor. Afinal, são nada menos que 24 milhões de micronegócios, tendo à frente pessoas que, mesmo despossuídas de muitas informações sobre organização, números, planejamento, podem hoje ter a vida facilitada pela tecnologia como apoio nas decisões.”

A partir daí, no final de 2020, conversando, pessoal e diretamente, com mais de 100 empreendedoras, Andrezza colheu mais insghts que a desviaram de um projeto pessoal de período sabático, após se demitir de um cargo executivo em uma edtech, para mergulhar nessas descobertas. O primeiro passo foi criar uma página no Instagram para ampliar o alcance desse conhecimento, conversando com mulheres para além da capital cearense, onde ela iniciou as conversas. Mesmo sem ainda uma ideia de que produto oferecer para ajudar, tendo uma dimensão e amplitude da dor, haveria motivação para correr atrás. Com as respostas, que confirmaram a disposição das empreendedoras em obterem uma ajuda acessível e que coubesse no limitado caixa de um micronegócio, nasceu a HerMoney, à época o embrião de uma plataforma idealizada junto com a sócia Beatriz Furtado e que até hoje vem se aperfeiçoando na solução desses problemas bem localizados. Tudo ficou ainda mais patente ao constatar que as 40 primeiras clientes já haviam quebrado suas microempresas anteriores justamente pela falta de controle financeiro.

Durante um ano inteiro, a recém-criada startup se constituía em um canal no Whatsapp, planilhas Excel e entrega de gestão terceirizada a um custo de R$ 297,00. Resultado, logo eram 700 clientes e uma fila de espera de mais de 100. A saída foi profissionalizar o negócio captando investimento e embarcar tecnologia, mirando o potencial representado pelas 24 milhões de empreendedoras pelo país. “Jogou papel fundamental o movimento feito lá atrás, ouvindo as mulheres, pois, com ajuda de times especialistas de fora, conseguimos já construir uma plataforma assertiva. Existe ali um botão que já encaminha para o Whatsapp com todas as possibilidades para a dinâmica do serviço, envolvendo fluxos de caixa, contas a pagar a receber, etc.”

Apontando como diferencial em relação às outras mais de 70 startups de apoio à gestão financeira já existentes no mercado, Andrezza atribui ao fato de o roadmap da HerMoney ser construído a partir das necessidades específicas relatadas pelas clientes, ou seja, aquelas que mais utilizam no dia a dia. Nessa linha, convidada a delinear um pouco das questões culturais nas diferenças ente os homens e as mulheres na relação com o dinheiro, Andrezza lembrou que, até num passado não muito distante, a própria Constituição Federal caracterizava as pessoas do sexo feminino como incapazes para gerir questões financeiras. Nesse sentido, os avanços sociais e culturais vão surgindo e, hoje, ela entende que a mulher enxerga o poder financeiro como um requisito para alcançar propósitos, mas também, segundo estudos, vê no enriquecimento um meio de poder progredir cada vez mais nos próprios negócios.

E a sabedoria da HerMoney, no resumo traçado pela executiva, está no fato de criar soluções sem muitos subterfúgios tecnológicos, mas sim oferecendo tudo na medida certa para que a microempreendedora tenha as necessidades reais resolvidas e, assim, seguir em frente, sobreviver e crescer. E concluiu contando uma novidade: a criação da “Adote uma Empreendedora”, que durante um ano oferecerá o serviço premium, que normalmente custa R$ 47 mensais, de forma gratuita, ajudando as microempreendedoras que sofrem ainda pelas consequências da pandemia. O vídeo com o bate-papo na íntegra está disponível em nosso canal no Youtube, o ClienteSA Play, junto com as outras 475 lives realizadas desde março de 2020. Aproveite para também para se inscrever.

HerMoney lança movimento
A HerMoney lançou esse mês o movimento “Adote uma Empreendedora e transforme um sonho em realidade”. O objetivo é dar acesso gratuito a toda tecnologia de automação e inteligência financeira que a startup criou, para que 2 mil empreendedoras – que possuam ou queiram abrir o seu próprio negócio e não dispõem de recursos para pagar a assinatura. A empreendedora será adotada por uma pessoa física ou jurídica que adquire cotas anuais, com valores a partir de 2,8 mil e garantem que durante um ano esse negócio tenha assistência necessária para sobrevivência.

Para ajudar as empreendedoras, a HerMoney havia disponibilizado, no último semestre, o acesso gratuito ao seu sistema de controle financeiro. “No entanto, agora que o período de gratuidade foi encerrado, tivemos um pedido coletivo de ajuda e não podemos deixar 2 mil mulheres sem esse apoio. Por isso, a ideia deste movimento de união de forças e impacto para nossa sociedade toda”, explica Andrezza Rodrigues, fundadora da HerMoney. “Nosso sonho é garantir que estes 2 mil negócios não deixarão de existir, porque terão o auxílio da nossa plataforma, por meio deste movimento coletivo.”

A adoção será específica para um grupo de empresas, a partir de cinco, que receberão a garantia de ter a assistência da HerMoney ao seu negócio por um ano, enquanto isso, o adotante – pessoa física ou jurídica – ao participar deste movimento irá receber semestralmente dados de crescimento das suas apadrinhadas. É possível participar por meio de três formas, onde cada uma tem um benefício personalizado ao adotante. Um dos exemplos é o Adotante Diamante que, além de acompanhar de perto os resultados das suas empresas, também será convidado especial dos encontros de resultados da startup com acesso às sócias e aos investidores, além de poder incluir seu nome na lista de parceiros para imprensa e canais de comunicação da HerMoney, com valores estabelecidos entre 2,8 mil a 10 mil reais e que serão destinados para várias empresas.

“Quando facilitamos o desenvolvimento de uma mulher, estamos fazendo um investimento que impacta toda a nossa sociedade, porque esta mulher vai aumentar seu faturamento, vai contratar mais pessoas, vai pagar uma escola melhor para seu filho. Por isso a importância da participação, da colaboração de quem puder abraçar esse movimento”, analisa Andrezza. Confira o passo a passo de como adotar, clicando aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima