Já é hora de planejar Black Friday e Natal

0
11

Autor: Fabiano Silva
 
Pode parecer exagero, mas não é. Para o e-commerce, já está na hora de começar a planejar a Black Friday e o Natal de 2016. Conhecer seu cliente e planejar o estoque é a alma do negócio quando o assunto é concretizar boas vendas nessas e em outras datas comemorativas. Em 2015, segundo o E-bit, a Black Friday somada à Cyber Monday totalizaram R$ 3,02 bilhões em vendas no e-commerce nacional. O valor representa uma elevação de 44% em relação a 2014. Foram realizados 5,8 milhões de pedidos no total, um volume 24% maior que 2014, com ticket médio de R$ 521, uma alta de 16%. Resumindo, a Black Friday 2015 foi um sucesso.
 
Mas, em meio a esses bons resultados, teve também varejista, de todos os portes, suando frio para dar conta de atender o cliente e entregar o produto prometido. Entrar para uma promoção como essa sem estoque suficiente é bastante arriscado. Por isso, a insistência em começar a planejar o quanto antes. Comece por avaliar as vendas do ano passado e o perfil do seu cliente; quais os produtos mais vendidos? Como foi a performance da loja nos quesitos tempo de entrega e  atendimento ao cliente? Quais foram os problemas enfrentados na sua operação?
 
A indústria, que oferece os insumos ou o produto final para a venda, costuma ter um tempo de entrega maior, diferente do que é praticado no e-commerce. Fazer os pedidos com antecedência permite evitar atrasos com os clientes e também negociar melhor o preço dos produtos. Essa negociação é essencial para garantir que o preço final seja atrativo, com a oferta de descontos expressivos, e também compensadores para o negócio.
 
Além disso, é preciso estar preparado operacionalmente para colocar o produto à venda o quanto antes, tão logo comece a promoção. Um vendedor de nicho, por exemplo, mesmo que de pequeno ou médio porte, pode obter vantagem sobre grandes lojas diante da busca por um produto de seu portfólio. Geralmente, os grandes lojistas têm processos mais complexos. É comum um grande varejista demorar três, quatro ou até cinco dias para disponibilizar um produto para a venda, isto devido aos processos internos de recebimento e entrada da mercadoria no estoque. Nesse aspecto, o vendedor de nicho sai ganhando. Pode ser que o cliente entre no site de uma grande loja e não encontre a camisa do time dele, por exemplo, mas, no site menor, especializado em camisas de futebol, sim.
 
Espera-se sempre um grande volume de vendas na Black Friday e no Natal, por isso, é importante estar preparado também para o bom andamento da logística interna. Os processos de separação e embalagem dos produtos têm que estar afinados, para dar vazão às demandas. Logo após as datas, é importante considerar que haverão pedidos por trocas e devoluções de produtos e estorno de pagamento. Esses são aspectos muitas vezes esquecidos e que, se não forem considerados com antecedência, podem gerar prejuízo para a operação, além da insatisfação do cliente.
 
Em todas as etapas listadas até aqui, um sistema tecnológico de gestão pode fazer toda a diferença para garantir assertividade, agilidade e controle. Para estar realmente preparado nas próximas datas comemorativas é válido o varejista considerar a implantação de um sistema que o auxilie nessas tarefas. Sem dúvida, os ganhos, tanto de tempo como de dinheiro, recompensarão esse investimento.

Fabiano Silva é diretor comercial da KPL, uma empresa MercadoLivre