Tributos maiores em 2005

0
0

O Governo Federal ao editar a Medida Provisória nº 232, de 30 de dezembro de 2004 (a mesma que reajustou a tabela do imposto de renda das pessoas físicas), aumentou a base de cálculo do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro (CSLL) de 32% para 40%, para as prestadoras de serviços (exceto transportadoras e hospitais) optantes pelo lucro presumido. A mudança para o Imposto de Renda começa a valer a partir de 1º de janeiro, e para a Contribuição Social sobre o Lucro em 1º de abril. De acordo com o presidente do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário, Gilberto Luiz do Amaral, essas mudanças correspondem a um aumento de 25% nos referidos tributos, conforme abaixo exemplificado:
Tributação em 2004
Faturamento (Receita da atividade): 100,00
Base de Cálculo (32%): 32,00
Alíquota de IRPJ 15% s/ 32,00: 4,80
Alíquota de CSLL 9% s/ 32,00: 2,88
Total IRPJ e CSLL (7,68%): 7,68
Tributação em 2005
Faturamento (Receita da atividade) 100,00
Base de Cálculo (40%): 40,00
Alíquota de IRPJ 15% s/ 40,00: 6,00
Alíquota de CSLL 9% s/ 40,00: 3,60
Total IRPJ e CSLL (9,6): 9,60
“É de se lembrar que as prestadoras de serviços já tiveram majorada a base de cálculo da Contribuição Social, a partir de setembro de 2003, a qual passou de 12% para 32%. Assim, o atual governo federal promoveu um aumento de 63% no Imposto de Renda e Contribuição Social das empresas prestadoras de serviços”, disse Amaral.
Segundo o presidente do IBPT, além do IRPJ e CSLL as prestadoras de serviços pagam PIS (0,65% sobre a receita), COFINS (3% sobre a receita), ISS (de até 5% sobre a receita, conforme a legislação do seu município); tributos sobre a folha de salários (INSS, FGTS, contribuição para terceiros = 44% s/ a folha), mais taxas, IPTU, IPVA, IOF, CPMF, etc, podendo atingir mais de 30% do faturamento. “A carga tributária média sobre o faturamento passará para 25,25% em 2005, contra cerca de 20,08% no início do Governo Lula. Com estas medidas o governo arrecadará cerca de R$ 2 bilhões a mais por ano”, disse Amaral.
As atividades atingidas pelo aumento da base de cálculo do IRPJ e CSLL são:
1) prestação de serviços de profissão legalmente regulamentada;
2) intermediação de negócios/representação comercial/corretor de seguros ou de imóveis;
3) administração, locação ou cessão de bens imóveis, móveis e direitos de qualquer natureza;
4) construção por administração ou por empreitada unicamente de mão-de-obra;
5) prestação de qualquer outra espécie de serviço não mencionada acima.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEm ritmo de retrospectiva
Próximo artigoAluguel de tecnologia