Inadimplência cresce em janeiro

0
2



O comprometimento da renda dos consumidores com gastos de fim de ano e aqueles peculiares a janeiro – impostos, taxas, matrícula escolar, entre outros – exerceu significativa pressão sobre o desempenho do comércio varejista brasileiro. Em conseqüência, a inadimplência – número de registros incluídos no SPC Brasil -, em janeiro de 2010, registrou aumento de 5,67%, em relação dezembro de 2009. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, no entanto, foi verificada queda de 3,14%. O resultado se deve, principalmente, ao aumento do rendimento real e à evolução do crédito ao consumidor.

 

O número de consultas ao SPC Brasil para compras a prazo e pagamentos em cheque, na comparação janeiro/10 com dezembro/09, teve significativa queda (25,83%). O baixo movimento era esperado, tendo em vista que dezembro é o melhor período para o setor, e janeiro exige maior esforço de endividamento dos cidadãos. No confronto com janeiro/09, as consultas cresceram 7,11%. Isto porque o Brasil inicia 2010 com quadro econômico inteiramente distinto de 2009. A confiança do consumidor na economia e a manutenção do emprego redundaram na elevação do poder aquisitivo das classes C, D e E; e na expansão da demanda reprimida por bens de consumo.

 

O maior número de inadimplentes, em janeiro/10, situou-se nas faixas acima de R$ 100 (54,01%). A concentração em valores mais altos é explicada pela redução do IPI de móveis e eletrodomésticos, que facilitou as compras de bens de maior valor agregado. Em relação ao cancelamento de registros (regularização dos débitos), houve queda de -19,03% – revela a intenção de adiar o processo de “limpar” o nome no SPC Brasil. As mulheres continuam sendo as que mais pagam suas dívidas (55,82%).