Achar ou Acreditar!

0
1



Uma vez na saída de um seminário da Cliente SA fui procurado por um executivo de uma indústria multinacional do setor automotivo, para conversarmos sobre a possível utilização do CRM junto aos seus clientes.


Depois de ter estranhado o interesse por CRM,

Fiz-lhe algumas perguntas num bate papo bem informal:

 


1. Quem serão os seus clientes alvo com esta estratégia?


Resp: TODAS as pessoas que compram automóveis.


 


2. Sua empresa manterá o registro de todas as interações com consumidores no país inteiro?


Resp: Claro, NO FUTURO estas informações PODEM ser importantes.


 


3. Qual seu maior objetivo com uma estratégia de CRM? Crescer em vendas ou fonte de informações para o lançamento de novos automóveis?


Resp: Ainda não definimos o objetivo principal, são muitas oportunidades.


 


4. Existe algum grupo de clientes que podem ser mais importantes dentro de sua empresa e que mereceriam uma atenção maior (foco)?


Resp: Se pensarmos em retorno em curto prazo, poderia segmentar como mais atraentes: Empresas de transporte, Locadoras de veículos, Frotistas e Taxistas.


 


5. Porque você não faz um teste piloto com um desses grupos e de acordo com os resultados alcançados, vai crescendo para outros segmentos?


Pelo menos a cada grupo conseguirá recursos para auto-sustentar seu projeto.


Resp: Boa idéia poderia começar por… (segredo de conversa não se conta)


 


Não arrisque um projeto de CRM somente

por ACHAR que PODE dar retorno,

 

faça-o somente se

TIVER a CERTEZA que vai dar retorno.


 


Já na primeira pergunta sempre aparece o primeiro sinal de perigo,


Numa primeira ideia as pessoas pensam que A estratégia de Gestão de Clientes deve ser utilizada em todos os consumidores e muitas vezes esta miopia os leva a construir bancos de dados gigantescos que durante o projeto e principalmente na implantação da tecnologia se mostram inviáveis e levam ao abandono.


 


Observe que na continuação desta conversa (fato real) as perguntas foram direcionadas a dar uma orientação subjetiva e ao final estabelecemos um foco no que pode ser feito e o que não deve ser feito.


Este é outro problema nas empresas saber o que NÃO fazer, fato que gera fracassos e duplicidade de esforços e recursos. Como podemos então gerar recursos com um projeto como este?


Entendendo melhor o que queremos atingir com ele!


 


Um cliente tem um potencial de compra anual de veículos de R$ 2 milhões


E vem comprando de uma determinada empresa um carro de R$ 20 mil,


Ou seja, esta empresa tem 0,01% de participação no potencial deste consumidor (Customer share).


 


Recordando conceitos


1.       Identifique no seu mercado quem são seus clientes


2.       Diferencie-os por valor e necessidades (escolha o alvo)


3.       Crie processos de Interação Face To Face e conheça-o melhor, descobrindo oportunidades


4.       Personalize seu atendimento e ofereça ofertas compatíveis


5.       Cultive o relacionamento


6.        


Através deste modelo Interação entre empresa e cliente, conhecendo suas necessidades e atendendo-as dentro da disponibilidade do seu portfólio de produtos (Gestão de Clientes), esta empresa passa a ter como resultado: 30% de Customer share = R$ 0,6 milhão. No final de um ano.


Até onde ela poderá chegar!


 


 


1. Como ficou o custo operacional ou como alguns chamam – “custo de servir”?


O custo de atendimento de um cliente individual aumentou, mas com o aumento de receita obtido, o custo operacional geral reduziu consideravelmente, isto porque não existem mais visitas e despesas improdutivas.


 


2. Preciso da mesma estrutura de atendimento?


Não, a forma de acesso mudou.


Quantos clientes e vendedores eu precisaria para conseguir R$ 1 milhão no mercado tradicional? Quantas visitas?


 


Cabe lembrar que quando se adota Gestão de Clientes como estratégia, a volta para padrões anteriores é catastrófica, principalmente porque a empresa causará muito desconforto aos seus principais clientes.


 


Pense bem antes de adotar esta estratégia; bem como antes de abandoná-la.

 

“O mundo é um mar de Oportunidades, mas você precisa saber nadar”

 

Mazza

twitter: @mfmazza