O canal para quem respira cliente.

Videochamada vai para as redes sociais

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Apesar de ainda ser tímida a sua presença nas empresas, a videoconferência vem ganhando cada vez mais espaço como importante canal para atender os clientes. De olhos nessas oportunidades que começam a se abrir, a Polycom desenvolveu o RealPresence CloudAXIS, solução de vídeo que apresenta um diálogo segura e que se desenvolve em qualquer ambiente, incluindo rede sociais.  “A criação da tecnologia se dá pela necessidade do vídeo ser onipresente. Além disso, vemos muito uso de vídeochamada por meio de sistemas gratuitos, mas que não permitem controle com segurança da chamada”, explica João Aguiar, gerente de engenharia da Polycom.
Segundo o executivo, a solução funciona a partir do momento em que a empresa que adota a solução envia um convite para o cliente por e-mail ou rede social (Facebook, Skype ou Google Talk) com um link. Ao clicar, ele acessa automaticamente o sistema de videoconferência pelo próprio navegador de internet. “A tecnologia permite que qualquer pessoa participe sem ter nenhum equipamento especializado.” Aguiar comenta que uma solução simples e segura já era procurada há anos pelas empresas, mas que faltavam alguns requisitos. “Hoje já temos o 3G e o 4G em implementação que permitem que a conversa por vídeo não seja uma frustração, com falhas”, esclarece.
O executivo, aponta como grande desafio, a vergonha e a falta de costume de muitos usuários em se comunicar por vídeo. “Mas as empresas já entendem a importância da linguagem corporal em um relacionamento com o cliente. Com o vídeo é como se estivesse frente a frente, um atendimento no balcão”, afirma Aguiar. Ele conta que, no Brasil, o vídeo atendimento está em provas de conceito com clientes que há mais de um ano vinham se interessando pela tecnologia. “Hoje eles estão testando essa técnica que vai literalmente se integrar no workflow, seja no vídeo atendimento ou na parte de call center de vídeo com o controle desses clientes com histórico ou gravação” , esclarece Aguiar, acrescentando que as instituições financeiras é um dos setores que mais deve buscar pela solução.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima