O canal para quem respira cliente.

Carreira no marketing exige atualização

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

O marketing nunca esteve tão em alta. Um estudo realizado no final de 2004, patrocinado pela Associação Nacional dos Anunciantes dos EUA, revelou dados surpreendentes do setor. Mais de 75% dos executivos entrevistados afirmaram que esse departamento ficou mais importante para as suas empresas nos últimos cinco anos.

De acordo com o presidente da ADVB-PR (Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil – Seção Paraná), Norman de Paula Arruda Filho, o marketing tem sido a essência do capitalismo nos últimos anos e vem se firmando neste papel para o futuro. “O preço e a qualidade de produtos e serviços oferecidos em vários cantos do mundo estão se nivelando, nos mais diversos setores. Para se diferenciar, as empresas investem na imagem com o consumidor, valorizando o uso e os costumes, o design, a ética, o atendimento, a linguagem. Ou seja, usam valores subjetivos para se destacar. Sabem que o consumidor compra um benefício intangível em cada produto, que pode ser até analisado, mas, por ser um desejo, antes de tudo, é emocional”, explica.

Por outro lado, a pesquisa americana revela também que mais da metade dos entrevistados acha que seus profissionais de marketing estão alienados dos objetivos da companhia. Por isso, não surpreende que 70% das empresas pesquisadas estejam em processo de reorganização do departamento de marketing ou tenham feito essa mudança nos últimos três anos.

Não existem pesquisas similares no Brasil, mas, de acordo com o consultor Luiz Alberto Marinho, a realidade não é muito diferente. “O grande problema dos profissionais de marketing está em insistir em velhas estratégias, demonstrando absoluta falta de compromisso com os resultados da empresa”, adverte. Segundo Marinho, o mercado de trabalho vive hoje o fim de uma era – o crepúsculo do profissional de marketing de massa e o nascimento de uma nova geração de executivos, com perfis bem diferentes dos seus antecessores. “O marketing, como nós conhecemos, se tornou ineficaz e irrelevante. Os que não se adaptarem, correm o risco de virar peça de museu”, alerta o consultor.

Philip Kotler, guru mundial do marketing, escreveu em um de seus últimos artigos que o mercado está exigindo do profissional de marketing a capacidade de equilibrar três aspectos que, apesar de muitas vezes conflitantes, não chegam a ser excludentes: obter lucros para a empresa, a satisfação do consumidor e a preservação do interesse público. “Este é, de fato, o maior desafio do marketing no século 21”, salienta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima