Mais, mais na geração de valor para clientes

0
3
A Whirlpool Corporation, a Apple, a Samsung, a Philips e a Incefra foram as cinco companhias do setor de bens de consumo duráveis que mais produziram valor a partir da percepção, avaliação e recomendação de seus stakeholders, segundo levantamento da DOM Strategy Partners. O objetivo do estudo foi avaliar a capacidade das instituições em gerar e proteger valor não apenas para si, mas também para seus clientes, consumidores, acionistas, funcionários e sociedade, 
Assim como em 2014, a Whirpool lidera o ranking com 8,21. A Apple vem na vice-liderança com 8,19, ocupando o lugar que era da Samsung no ano passado, que por sua vez segue na pesquisa em terceiro lugar com 8,15. A Philips e a Incefra, que estreia na lista, veem com 8,01 e 7,68, respectivamente. O ranking MVP (Mais Valor Produzido) Brasil – Bens de Consumo Duráveis avaliou ativos, como: Eficácia da Estratégia Corporativa, Resultados Gerados, Crescimento Evolutivo, Valor das Marcas, Qualidade de Relacionamento com Clientes, Governança Corporativa, Sustentabilidade, Gestão de Talentos, Cultura Corporativa, Inovação, Conhecimento, Grau de Transformação e Uso das Tecnologias Digitais, dentre outros.
O CEO da DOM Strategy Partners, Daniel Domeneghetti, explica que o conceito do estudo foi entender como o mercado de bens de consumo duráveis se comunica com os seus principais públicos diante da crescente queda que vive nos últimos anos e cita como exemplo o caso da Samsung. “A estratégia da multinacional sul coreano de lançar vários modelos de smartphones ao longo de 2014 culminou em sua queda na pesquisa. Segundo seus stakeholders, principalmente os consumidores, a profusão de Galaxys, lançados um atrás do outro muitas vezes, os deixaram em dúvida sobre qual é o aparelho top de linha até mesmo para quem tem o modelo mais recente, o S5”, pontua o executivo.
Para viabilizar a pesquisa, a consultoria se apoiou na metodologia EVM (Enterprise Value Management), tática que defende a tese de que o valor produzido pelas empresas, tanto gerado, como protegido, seja este tangível ou intangível, é agregado (ou destruído) e materializado (quantificado) em função da percepção de valor apreendida e tangibilizado pelos stakeholders. A partir da premissa do conceito EVM, os principais nomes da indústria de bens de consumo passaram por uma avaliação em relação às suas performances nos ativos tangíveis e intangíveis, selecionados como direcionadores de geração e/ou proteção de valor pelas empresas. 
O levantamento e o resultado analítico também uniu interações, pesquisas e monitorias feitas pela DOM com os diferentes públicos das empresas dos setores. A resposta sobre capacidade de cada empresa gerar e proteger valor para si e para esses públicos foi feita a partir da quantificação das quatro dimensões que definem o Valor Corporativo de uma companhia: Resultados, Reputação (definida como Credibilidade/Imagem), Competitividade e Riscos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNão é moda, é estratégia!
Próximo artigoComando eficiente