São Paulo, Brasil - 4 de dezembro de 2023, 09:55
Banner Cliente SA_v3

Martech na Black Friday: uma opção necessária

Rodrigo Comegno, head de produtos da Paschoalotto

A ideia é traçar estratégias de vendas bem-sucedidas que vão muito além de descontos, frete grátis e outras vantagens

Autor: Rodrigo Comegno

Falar que estamos mais tecnológicos já não é novidade para ninguém. No entanto, com várias ferramentas disponíveis, ainda é preciso discutir as maneiras com que a tecnologia pode beneficiar diferentes áreas e setores.

No comércio, por exemplo, ela é infalível e não podemos ignorar o uso. Mas nem todo mundo se preocupa em adotar estratégias importantes tendo a tecnologia como aliada para aumentar as vendas e fidelizar clientes. Este é um erro grave para os dias de hoje.

É somente quando datas importantes, como a Black Friday, começam a surgir que muitos lojistas se preocupam em seduzir o consumidor.  Pela pressa, muitas vezes, não estruturam a campanha de vendas para o momento e acabam não obtendo o resultado esperado.

Estou falando de falhas que estão acontecendo frequentemente, mas que poderiam ser muito bem evitadas.

Estratégia e tecnologia

Atualmente, não faltam recursos para que as marcas tenham uma boa visibilidade na Black Friday. Entretanto, para se sair bem não basta colocar um ou outro produto em desconto, é necessário bem mais que isso. Diria que é preciso estratégia e tecnologia trabalhando juntas.

Isso porque evoluímos desde que a Black Friday chegou ao Brasil, em meados de 2010. E se antes da pandemia a preferência dos consumidores era buscar lojas físicas para aproveitar a data, agora, com novos hábitos de consumo, os e-commerces são os novos queridinhos.

De acordo com dados do Bornologic/Opinion Box, a frequência de compra pela internet no país aumentou 71% no último ano, o que significa que a Black Friday de 2022 deve surpreender ainda mais. Inclusive, uma das expectativas é que a Copa do Mundo seja o grande tema da sexta-feira de promoções  deste ano.

Segundo o Google, 66% das pessoas entrevistadas pretendem comprar algum produto ou serviço de olho no torneio mundial. Por isso, setores como o de eletrônicos (televisão, som, smartphones, etc.) devem estar bem preparados.

Não estou falando apenas do óbvio que é oferecer promoções e benefícios para o consumidor, mas traçar estratégias de vendas bem sucedidas que vão muito além de descontos, frete grátis e outras vantagens.

As lojas que quiserem ter sucesso em datas como esta precisam usar estratégias importantes, como o martech. A junção de ferramentas tecnológicas ao trabalho de marketing pode melhorar a performance, além de ajudar a alcançar mais notoriedade para a marca.

Com tantos dados disponíveis atualmente, é necessário que as lojas analisem todos eles para que consigam traçar uma estratégia assertiva. Um e-commerce de calçados, por exemplo, consegue entender quais os sapatos vão chamar mais atenção na Black Friday de acordo com os dados fornecidos pelos seus consumidores em campanhas anteriores, além de dados de comportamento coletados.

Um e-commerce de batons consegue prever as cores que serão mais requisitadas de acordo com a tendência de moda, tendência de buscas e preferência atual de suas consumidoras.

Além disso, é possível traçar o perfil das pessoas, seu comportamento na internet, entender suas necessidades, o que procuram nesse exato momento e assim enviar informações importantes de descontos e promoções. Dessa forma, as martechs podem ser um ativo para habilitação de vendas, ajudando qualquer empresa a conquistar e manter clientes.

De acordo com a WiproDigital, 81% dos diretores de marketing (CMOs) acreditam que as competências em martech são importantes e 62% deles planejaram elevar drasticamente os custos com o segmento no último ano.

Assim como diversas estratégias que devem ser adotadas para ter sucesso nas vendas, as soluções martech melhoram a experiência do consumidor e até fortalece o relacionamento com os clientes. 

E qual é a marca que não deseja isso?

Se tem uma coisa que todos querem nessa época do ano é sucesso. Mas para isso, é necessário passar por mudanças e apostar naquilo que dá certo. Por isso, não dá para ignorar uma ferramenta tão poderosa. Sai na frente quem entender todo o potencial das martechs.

Rodrigo Comegno é head de produtos da Paschoalotto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima