Resultado positivo

0
2



As vendas acumuladas do setor supermercadista em 2009 cresceram 5,51%, em relação a 2008, de acordo com o Índice Nacional de Vendas, divulgado mensalmente pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras). No mês de dezembro, a alta real foi de 6,61%, em relação ao mesmo mês do ano anterior, e de 31,20%, se comparada a novembro de 2009. Esses índices já foram deflacionados pelo IPCA do IBGE. Em valores nominais, o Índice de Vendas da Abras apresentou crescimento acumulado de 10,65% em 2009, na comparação com 2008. No mês de dezembro, a variação nominal foi de 11,21%, em comparação ao mesmo mês do ano anterior, e de 31,68%, em relação ao mês anterior.

 

“Os resultados do nosso setor foram extremamente positivos no ano passado, principalmente se levarmos em conta o cenário de crise do início de 2009 e também as projeções de crescimento do PIB para o período, que não prevêem crescimento. Sem dúvida nenhuma, as ações de incentivo ao consumo tomadas pelo governo, como a redução de impostos, foram essenciais para esse desempenho. Ainda não temos uma projeção de crescimento para 2010, mas estamos otimistas de que a retomada da economia promoverá desenvolvimento econômico e social para todo o Brasil”, avalia Sussumu Honda, presidente da Abras.

 

Em 2009, o AbrasMercado, cesta de 35 produtos de largo consumo, analisada pela GfK, apresentou crescimento acumulado de 0,32%. Em comparação, o IPCA variou, no mesmo período, 4,31%. Em dezembro, o AbrasMercado apresentou queda nominal de -0,04%, em relação ao mês anterior. Já na comparação com dezembro de 2008, o AbrasMercado apresentou alta nominal de 0,32%, passando de R$ 260,68 para R$ 261,51. No acumulado do ano de 2009, os produtos com as maiores altas foram: açúcar, com 57,20%; cebola, com 50,70%; e batata, com 46,50%. Já os produtos com as maiores quedas acumuladas em 2009 foram: feijão, com -34,40%; tomate, com -22,70%; e arroz, com -15,50%.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorOutsourcing em cobrança
Próximo artigoApoio a cultura