Desafio na gestão das vendas

0
2
Autor: Fabrício Costa
O Brasil possui um dos sistemas financeiros mais avançados do mundo. Somos referência quando o assunto é automação bancária e devemos isso, em grande parte, aos tempos de inflação nas alturas que vivíamos até o início da década de 90. Mas por que, ao contrário dos bancos, nossas empresas até hoje ainda têm dificuldade em lidar com as questões relacionadas à gestão financeira? 
  
Atualmente, é difícil encontrar uma empresa que não possua um mínimo de controle sobre suas finanças. Incluo nesta afirmação desde a simples planilha eletrônica até o sistema de gestão integrada. É como se o papel de um sistema de gestão terminasse no momento da emissão da nota fiscal, esquecendo-se que entre o momento da venda e o recebimento efetivo do dinheiro, que normalmente acontece em uma conta bancária, existe um intervalo que pode variar de alguns dias até anos.
 
Para conviver com a burocracia e não perder dinheiro neste cenário altamente dinâmico, as empresas precisam definir processos e métodos para controlar suas carteiras de recebíveis de cartões de modo que consigam responder desde se as vendas foram confirmadas até qual o valor pago pela rede adquirente.
Para auxiliar as empresas, todas as grandes adquirentes oferecem meios que disponibilizam de forma automática as informações sobre suas vendas. Estas informações, chamadas de extratos eletrônicos, são essenciais para qualquer empresa que deseja adotar um processo eficiente em sua gestão das vendas com cartões. Como cada rede adquirente possui seu modelo próprio de extrato eletrônico, realizar a gestão e conciliação das vendas por conta própria não é muito recomendado.
 
Hoje em dia existem empresas que são especializadas em oferecer ferramentas para gestão e conciliação das vendas com cartões. Como atendem a diversos clientes, essas empresas conseguem oferecer soluções completas com custo/benefício adequado ao orçamento de pequenas, médias e grandes empresas.
 
Uma boa ferramenta de conciliação de vendas com cartões deve ser capaz de colaborar com a produtividade do departamento financeiro, permitindo que tarefas até então que demandavam muito tempo e esforço passem a ser realizadas de maneira rápida e simplificada. 
Administração das despesas financeiras: possibilitar a visualização das vendas realizadas apurando se a taxa cobrada pela adquirente, bem como as tarifas de locação de terminais POS estão sendo praticadas conforme acordo entre a empresa e a rede adquirente.
 
Controle de cancelamentos chargebacks: permitir o controle sobre quais solicitações de documentos para comprovação de venda já foram atendidas, evitando-se assim débitos indevidos por chargeback e também a apuração de cada cancelamento de venda recebido.
 
Gestão das operações de antecipações: possibilitar a visualização das operações de antecipações realizadas junto as redes adquirentes, bem como o impacto das mesmas no fluxo de recebimento futuro.
 
Contabilização e baixa das liquidações: integrar automaticamente com o sistema de gestão, enviando as informações de liquidação e demais movimentos financeiros, permitindo assim que as vendas sejam baixadas e contabilizadas de forma correta.
 
Ao implantar todos esses controles e processos, normalmente o departamento financeiro reduz em até 70% do tempo gasto para conciliar as vendas com cartões, isso sem contar nos benefícios de se ter informações confiáveis e em tempo real dos recebíveis de cartões.
Fabricio Costa é diretor de novos negócios na Equals