Sudeste lidera pedidos de cartões de crédito

0
14



O Sudeste ultrapassou o Nordeste e foi a região do país com o maior número de consumidores com o primeiro cartão de crédito no primeiro trimestre de 2012. Estes são os novos entrantes no crédito, cujos CPFs nunca haviam sido consultados até então e pela primeira vez foram consultados para uma proposta de cartão. O dado faz parte de estudo da Serasa Experian.

 

Segundo o levantamento, 39% das novas adesões estão no Sudeste. O Nordeste vem em seguida, com 38,5% de participação. O estudo foi feito com base nas informações de 300 mil CPFs de todo o Brasil, comparando os dados dos primeiros trimestres de 2010, 2011 de 2012. Desde 2009, Sudeste e Nordeste têm se alternado no primeiro lugar em propostas de novos cartões – no primeiro trimestre de 2011, o Nordeste havia passado o Sudeste, com os índices de 43% e 36%, respectivamente. Na distribuição total, o Sudeste continua líder na concentração de solicitantes de cartões de crédito – 48,4% das solicitações de cartões do país estão nesta região. Em seguida, vêm Nordeste (25,7%), Sul (17,1%), Centro-Oeste (5,3%) e Norte (3,5%).

 

Os números revelam também que as pessoas que possuem renda de R$ 500 a R$ 1000 ainda são responsáveis por grande parte dos consumidores com o primeiro cartão de crédito. No primeiro trimestre de 2010, eles representavam 51,7% das novas propostas. No ano passado, foram 55,8% e, agora, chegaram a 57,6%. A participação desses consumidores fica mais evidente quando analisados os dados sobre a primeira consulta de CPF na Serasa Experian. Nos últimos três anos, 6% dos CPFs, em média, são verificados pela primeira vez no país. E, neste período, o que se viu foi um aumento da presença de consumidores com renda de R$ 500 a R$ 1000: 89,2% em 2010, 91,7% em 2011 e 96,5% das primeiras consultas neste ano.

 

“Os resultados apontam para a adoção de práticas mais sofisticadas na gestão do risco de crédito, adequando-se a concessão ao novo perfil da população brasileira como forma de rentabilização do negócio. A mudança irá requer dos emissores uma alteração no modelo de concessão de crédito para entender como conceder crédito com risco adequado e atendendo uma população de novos entrantes na economia sem histórico de crédito e também sem educação financeira”, afirma Ricardo Loureiro, presidente da Serasa Experian e Chairman da Experian América Latina.

 

O levantamento da Serasa Experian mostrou ainda alta na inadimplência registrada após quatro meses de uso do novo cartão, tendência observada desde 2010. No primeiro trimestre de 2012, 4,4% dos novos cartões estavam com atraso. No mesmo período de 2011, o índice era de 3,2% e, em 2010, de 2,3%.