Cases de sucesso da CBCC

0
0

Sucesso de público e bilheteria
Blockbuster faz parceria com CBCC e consegue bons resultados na venda de filmes por telefone

A rede Blockbuster nasceu em 1985, no Texas, numa época em que a locação de vídeos era um negócio relativamente novo. Em dois anos de atuação no mercado, já era uma rede com oito lojas próprias e 11 franquias; foi neste período que a empresa experimentou sua maior mudança.
Após 15 anos de sua concepção, a Blockbuster é uma das maiores fontes de renda da indústria do cinema, operando em 29 países, com mais de 8.500 lojas e mais de 70 milhões de associados. Através de um acordo de franquia em 1994 entre o Grupo Moreira Salles e a Blockbuster Entertainment Corporation, a marca é representada no Brasil pela BWU Comércio e Entretenimento Ltda. A primeira loja foi inaugurada em 22 de março de 1995, no bairro paulistano do Itaim Bibi. Atualmente, a rede possui lojas espalhadas pelos principais Estados do país: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Goiás, Pará, Ceará, Bahia, Pernambuco e Distrito Federal.
O negócio da Blockbuster no Brasil não fica restrito apenas à locação e venda de filmes nas lojas da rede. Hoje a companhia vende filmes revisados e com garantia, que foram alugados anteriormente em DVD e VHS (são os chamados filmes Previamente Vistos) utilizando também os serviços da CBCC.
Há dois anos a Blockbuster procurou a CBCC para realizar a centralização de toda a venda destes Filmes Previamente Vistos fora de suas lojas por uma central de atendimento terceirizada.
E a rede de videolocadoras tem motivos de sobra para comemorar essa parceria com a CBCC. Com mais de 380% de crescimento em vendas entre maio e novembro de 2003, a operação conseguiu gerar ainda mais resultados e cresceu 80% entre fevereiro e abril desse ano.
A CBCC recebe ligações de um público bem definido. Mais de 90% dos chamados recebidos são de proprietários de outras locadoras, que em sua maioria já estão cadastrados e costumam comprar os produtos pela central de atendimento da CBCC. “Estamos habituados a receber pedidos de donos de locadoras para adquirir novos títulos para o seu negócio. Boa parte deles liga mensalmente e nos solicita os principais lançamentos do mês”, conta Ricardo Jocelli, gerente de atendimento da CBCC.

CBCC e TVA: três anos de uma parceria de sucesso
O crescimento da parceria entre a CBCC e a TVA aconteceu graças ao bom desempenho atingido pela operadora de contact center
Há cerca de três anos, a TVA do Rio de Janeiro – empresa de TV por assinatura do grupo Abril – decidiu terceirizar sua central de vendas a novos clientes. Para isso, contratou os serviços da CBCC, uma das maiores empresas de contact center do país.
A operação foi iniciada no dia 15 de dezembro de 2001, com apenas três PAs (posições de atendimento), que contava com 6 profissionais se revezando entre ações de venda ativa e receptiva. Hoje, cerca de três anos depois, a operação quadruplicou e já conta com 13 PAs (posições de atendimento), 26 operadores, trabalhando no período de segunda a sexta-feira, das 9 horas às 21 horas, e ao sábados, da 9 horas às 17 horas.
A operação está dividida em duas partes. Uma delas é o televendas receptivo, com três PAs (seis agentes), que recebem, em média, 13 mil ligações por mês. “São prospects da TVA em busca de informações e participação em promoções”, explica Carla Fonseca, supervisora comercial da TVA do Rio de Janeiro.
O telemarketing ativo exige uma estrutura de 10 posições, com 20 pessoas realizando ações de vendas de assinatura para novos clientes e de serviços para clientes atuais. No geral, a central realiza cerca de 42 mil ligações ativas por mês. “Neste caso, nós ligamos à procura de novos assinantes”, explica ela.
Segundo a executiva, o crescimento da parceria entre a CBCC e a TVA aconteceu graças ao bom desempenho atingido pela operadora de contact center. “Quando escolhemos a CBCC, foi por conta da experiência e da tecnologia de ponta que a empresa nos ofereceu. Isso ficou comprovado com os resultados obtidos ao longo do tempo. A empresa consegue atingir todas as metas estipuladas pelo contrato”, completa