Aproveite. Ainda dá tempo de inscrever seu case

O canal para quem suspira cliente.

São Paulo, Brasil - 29 de fevereiro de 2024, 18:22

IA impulsiona receitas e reduz custos no setor varejista

Marcio Aguiar, diretor da divisão enterprise da Nvidia para América Latina

Pesquisa da Nvidia  demonstra que, desde recomendações personalizadas de produtos até a criação de conteúdo de marketing, a IA generativa tem aprimorado a experiência do cliente e otimizado as operações

O setor varejista se posiciona hoje como um dos que mais rapidamente adotam os recursos da IA generativa para aumentar a produtividade, transformar as experiências do cliente e melhorar a eficiência, sendo que 98% das lideranças do setor planejam investir nessa tecnologia nos próximos 18 meses. A constatação faz parte da pesquisa “State of AI in Retail and CPG“, realizada pela Nvidia, mostrando que as implementações iniciais na indústria de varejo incluem consultores de compras personalizados e publicidade adaptativa, com varejistas testando inicialmente modelos prontos para uso, como o GPT-4 da OpenAI. 

Entretanto, de acordo com o estudo, muitos estão percebendo agora o valor em desenvolver modelos personalizados treinados em seus dados proprietários para alcançar um tom adequado à marca e resultados personalizados de maneira escalável e econômica. “Antes de construí-los, as empresas devem primeiro considerar uma variedade de perguntas: se opta por um modelo de código aberto, fechado ou empresarial, como planeja treinar e implantar os modelos, como hospedá-los e, o mais importante, como garantir que futuras inovações e novos produtos possam ser facilmente incorporados a eles”, comentou Marcio Aguiar, diretor da divisão enterprise da Nvidia para América Latina.

De acordo com o executivo, novas ofertas, como o Nvidia AI Foundations, uma coleção selecionada de modelos fundamentais otimizados para empresas da marca e principais modelos pré-treinados de código aberto, estão fornecendo às empresas de varejo as ferramentas necessárias para criar seus modelos personalizados. “Com o Nvidia NeMo, uma plataforma de ponta a ponta para o desenvolvimento de grandes modelos de linguagem (LLMs), os varejistas podem personalizar e implantar seus modelos em escala usando as mais recentes técnicas de última geração”.

Casos de uso de IA generativa

No estudo, Marcio analisa que modelos multimodais lideram a nova fronteira no cenário de IA generativa. “Eles são capazes de processar, entender e gerar conteúdo e imagens de várias fontes, como texto, imagem, vídeo e ativos renderizados em 3D. Isso permite que os varejistas criem imagens ou vídeos atraentes para campanhas de marketing e publicidade de uma marca usando apenas algumas linhas de prompts de texto. Além disso, podem ser usados para oferecer experiências de compra personalizadas com resultados de imagem de produtos no local e experimentação. Outro caso de uso está na geração de descrições de produtos, onde a IA generativa pode gerar descrições detalhadas de produtos de e-commerce  que incluem atributos do produto, usando meta-tags para melhorar significativamente o SEO”.

O relatório da Nvidia aponta que muitos varejistas estão testando a IA generativa primeiro com implementações internas. Por exemplo, alguns estão aumentando a produtividade de suas equipes de engenharia com geradores de código de computador alimentados por IA que podem escrever linhas otimizadas de código para resultados indicados. Outros estão usando modelos personalizados para gerar cópias de marketing e promoções para vários segmentos de público, aumentando as taxas de cliques para conversões. Enquanto isso, chatbots e tradutores estão ajudando os funcionários a realizar suas tarefas diárias.

Para aprimorar as experiências do cliente, os varejistas estão implantando ainda  consultores de compras alimentados por IA generativa que podem oferecer recomendações personalizadas de produtos em estilos de conversação adaptados ao cliente e exibir imagens dos produtos recomendados. É possível até mesmo exibir esses produtos se os compradores desejarem ver o produto recomendado, por exemplo, em sua casa, carregando uma imagem de um cômodo. Outro caso de uso é um chatbot de serviço ao cliente multilíngue capaz de responder a consultas simples dos clientes e encaminhar aquelas mais complexas para agentes humanos para um serviço aprimorado e mais eficiente.

Alinhado aos inúmeros benefícios proporcionados pelo emprego da tecnologia no setor varejista, a pesquisa revela ainda que, para 69% das empresas entrevistadas, a IA contribuiu diretamente para o aumento de suas receitas anuais. Adicionalmente, constatou-se que 72% dos varejistas que incorporaram a IA em suas operações experimentaram uma significativa redução nos custos operacionais. Esses resultados evidenciam que a adoção de tecnologias especializadas não apenas promove eficiência, mas também resulta em impactos positivos tangíveis para o setor varejista como um todo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima