Recuo de falências

0
3


No Brasil, 1.044 falências foram requeridas no período de janeiro a junho deste ano, aponta o Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações. O número é menor que os 1.116 pedidos verificados em igual período de 2011. Dos 1.044 requerimentos feitos no primeiro semestre de 2011, 694 vieram de micro e pequenas empresas, 226 de médias e 124 de grandes.
As falências decretadas, por sua vez, também apresentaram recuo. Foram 378 decretos no acumulado de janeiro a julho de 2011, contra 450 no mesmo acumulado de 2010. A maioria dessas falências foi de micro e pequenas empresas (340), seguidas pelas médias (25), e pelas grandes (13). “A indústria acaba por ser o setor mais afetado pela falência porque de certa forma, o varejo e o comércio em geral continua em crescimento, ou consegue se manter pelas vendas”, aponta Carlos Enrique de Almeida, economista da Serasa Experian, em entrevista exclusiva ao Portal Crédito e Cobrança.
De acordo com os economistas da Serasa Experian, os números menores de falências requeridas e decretadas no acumulado deste ano, em relação ao mesmo período de 2010, mostram a comparação entre dois momentos diferentes para as empresas.
De janeiro a julho de 2010, as empresas ainda tinham problemas na busca por crédito, em decorrência da crise global. Já no acumulado de 2011, mesmo com os efeitos da política monetária restritiva, para controle da inflação, a demanda das empresas por crédito normalizou-se.
O aumento registrado nas falências requeridas, decretadas e nas recuperações judiciais requeridas em julho, na comparação com junho, é decorrente da política monetária para controle da inflação, que está fundamentada na elevação dos juros, nas restrições ao crédito e na gradual desaceleração econômica.
*Confira abaixo tabela completa com os números de falências e recuperações.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
    
Fonte: Serasa ExperianFonte: Serasa Experian