Offshore despencou na Argentina de 95% para 5%

0
1

A nossa vizinha Argentina vive a consequência de ficar olhando para o umbigo, em época de  mercado globalizado de nosso mercado.Com a intensificação do sindicalismo, que tem conquistado grandes
ajustes salariais e endurecido na flexibilização de turnos de trabalho, o custo
operacional das empresas se elevou ao ponto de acabar com a oferta do País como
opção de offshore. Um número que chama atenção e comprova a tese: o País que
chegou a ter 95% do volume de negócios representado pelos serviços prestados baseados
em operações offshore. Hoje, representa algo como 5%. Um dos primeiros reflexos
é o fruto natural da globalização: a inviabilidade da prestação do serviço
local levou muitas empresas a transferirem as operações para países vizinhos. Entre
os mais escolhidos estão Peru e Colômbia e muitas empresas que estavam investindo
no País começaram a ter problemas, algumas fecharam as portas (ou abandonaram o
País) outras estudam a possibilidade de!  E o mercado local, evidente, não tem demanda
crescente para ocupar este espaço.