Boas perspectivas para o Brasil

0
2



Ainda que o governo brasileiro não esteja presente no apoio a tais iniciativas e que falte investimento em pesquisas, por parte das organizações, iniciativas de empresas brasileiras tornam o Brasil um país promissor no assunto. Como exemplo, podemos citar as ações da QIBras – Qualidade da Informação Brasil – primeira entidade da América Latina desenvolvida por dez empresas brasileiras, desenvolvida com o objetivo de organizar e difundir o setor da cultura de qualidade da informação no Brasil, que conta com o apoio do Massashussets Institute of Technology, MIT.


Em um bate-papo exclusivo com a Cliente S/A, Richard Wang, diretor do programa de qualidade da informação do MIT fala sobre as perspectivas para o cenário do método no Brasil e no mundo. Acompanhe!


Como o senhor vê o atual cenário da qualidade da informação?
Esse assunto é muito recente. Começamos a falar sobre qualidade da informação há 20 anos, sendo que a primeira conferência que ministrei sobre o assunto foi em 1996. De lá para cá, muitos países começaram a realizar pesquisas acadêmicas e houve um grande avanço das práticas por parte das empresas e nos governos. No início dos anos 90, a qualidade da informação era definida simplesmente como a limpeza da base de dados. Após a consolidação da atividade em muitas organizações, a limpeza passou a ser apenas uma parte do gerenciamento dos dados. Junto a isso, vieram empresas especializadas em soluções de qualidade de dados como IBM, Oracle, Informática, entre outras. Vimos uma propagação forte dos conceitos de qualidade da informação nos Estados Unidos e em muitas partes do mundo. Em diversos países chegamos a um estágio maduro o suficiente para que as empresas deixem de perguntar o que é a qualidade da informação.


E no Brasil?
Diria que falta um envolvimento maior do poder público. Em outros países, como Estados Unidos, o governo lidera ações para melhoria da qualidade dos dados e está envolvido com o assunto. Já no Brasil são as empresas que tomam a frente para divulgar esse conceito. Infelizmente, minha percepção é de que, por exemplo, o governo brasileiro não irá chamar a QIBras para uma discussão que gere conhecimento. Posso estar errado, mas essa é a impressão. Por isso, o primeiro ponto que deve ser trabalhado para o Brasil avançar é envolver o governo. O segundo já está acontecendo, que é a divulgação das práticas, por meio do trabalho da QIBras. O terceiro ponto é a necessidade das empresas investirem mais em pesquisas. Elas precisam entender a importância dessa atividade para os negócios e que não é fácil de obter a qualidade da informação.
Aqui no Brasil temos algumas empresas, as co-fundadoras da QIBras, que já trabalham a qualidade de dados, inclusive fazendo a entrada de informações em tempo real, capazes de alavancar tendências. E esse tipo de ferramenta está sendo adotada em muitas organizações. Por isso, estar em um País como o Brasil que agora têm a capacidade de atender o próprio mercado, ao mesmo tempo em que pode expandir, é importante. Eu estou muito esperançoso com o treinamento contínuo, porque o País é muito dinâmico e está crescendo. Temos capacidade de avançar.


Qual a importância da QIBras para o amadurecimento da atividade no Brasil?
É extremamente importante o trabalho que vem sendo feito no País, há três anos, desde a fundação da QIBras, tanto para o amadurecimento das empresas no mercado brasileiro – porque não há outro mecanismo no País que traga conhecimento dos Estados Unidos e outras partes do mundo -, quanto por trazer profissionais para educar brasileiros na área da qualidade de informação.
Vale ressaltar que a QIBras é uma organização sem fins lucrativos, seu objetivo é enraizar a informação de qualidade e o conceito de escritório de dados, que incluem estratégias de dados, governança, arquitetura de qualidade de dados, tudo traduzido para o Português. Isto é muito diferente de uma empresa de consultoria ou mesmo o MIT, vir até aqui para orientar o povo brasileiro como fazer para ter qualidade nos dados. Logo, para aumentar a maturação no campo da qualidade da informação e gerenciamento de dados em geral, a QIBras é o instrumento ideal, sobretudo por ser a única organização, até o momento, que está trabalhando com isso aqui, com muito entusiasmo, de forma incansável e sem egoísmo, e merecem todo o nosso crédito.


Como a qualidade da informação pode ajudar na gestão de clientes?
A importância da qualidade da informação é que, se você tem um conjunto de dados de melhor qualidade ou de informação, você é capaz de tomar uma decisão mais assertiva. Desta forma, você consegue mais mercado e ganha mais dinheiro.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEm busca de uma relação saudável
Próximo artigoTempos de renovação